Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Sexy vs Amamentação em público

 

    Tenho visto nestes últimos dias tanta coisa na internet sobre este tema, como o vídeo acima (que, verdadeiro ou não, reflete muito do senso comum que já vi por aí), que resolvi partilhar a minha opinião.

    Vou tentar explicar isto da forma mais fácil e direta possível: Como é possível que alguém acuse a amamentação em público de 'nojento' ou 'uma falta de educação', quando essa mesma pessoa precisou dessa amamentação para sobreviver? Em público ou não, a amamentação é necessária, diria mesmo fundamental para o crescimento e desenvolvimento do bebé. E não sei se é do conhecimento comum, mas o bebé não escolhe a hora que precisa de comer. O bebé não vê quando é que dá, ou não, mais jeito de se alimentar. Se ele precisa de comer, ele chora, e se ele chora e precisa de comer, a mãe não vai fazer o bebé esperar até chegar a casa (que aparentemente é o único sítio PERMITIDO de se amamentar um bebé), para o alimentar. Estas opiniões ultrapassam-me. Podem-me até dizer assim "Epá, mas não é muito agradável de se ver uma mãe com o seio de fora na rua a amamentar o seu filho", ao qual eu digo-vos assim: amamentar é um processo natural na vida das pessoas e todos nós temos o direito de estar num sítio público, e quem está mal e não se sente bem, tem solução, muda de sítio. Não vivemos num país assim tão pequeno que somos obrigados a partilhar o mesmo espaço com alguém que não queremos.

    Estas opiniões revoltam-me acima de tudo mais pela forma como algumas pessoas tendem a lidar com isso, como se fosse a escolha da mãe estar a amamentar a criança, como se a mãe estivesse a fazer de propósito para provocar as pessoas que têm à sua volta

    A outra questão é, como se pode também ver no vídeo, a disparidade de opiniões (quando em vez de uma mãe com o seio de fora a amamentar, se vê uma rapariga com um decote enorme) que passam do "que nojo" ao "que sexy" num instante. E eu não pretendo aqui julgar ninguém, porque cada um deve vestir aquilo que bem quer e que lhe apetece sem se preocupar com o juízo dos outros, o que pretendo evidenciar com isto é a diferença de opiniões que existem nos 2 casos. Pois o primeiro é vital para o ser humano e é, infelizmente, o mais julgado pelas pessoas.

    Esta é a minha opinião sobre o assunto, mas já tenho ouvido pessoas com motivos e razões completamente diferentes. Por isso estejam à vontade, se quiserem partilhar a vossa opinião. Gostava de saber se sou ou não a única revoltada com isto.

Ao apontar 1 dedo ao próximo, aponta o resto a ti próprio

     Ultimamente sinto cada vez mais que vivemos numa sociedade em que recorremos sempre à opção mais fácil, que neste caso é: apontar o dedo ao outro. Seja porque motivo for! Por que fez isto e aquilo que não devia ter feito, porque é assim, e não devia de ser, porque é demasiado gordo, porque é demasiado magro, porque fala demais ou fala 'de menos'. Seja qual a atitude (ou aparência) da pessoa, ela não se livra de ser comentada e acima de tudo criticada. E todos nós fazemos isto, uns mais que outros possivelmente, mas criticar é uma praga que não se livra de ninguém, porque a sociedade está feita desta forma. A olhar para os defeitos, para o mau da pessoa.

    Agora desafio todos nós a fazer o seguinte: da próxima vez que nos vier à cabeça algo menos bom sobre alguém, antes de abrir a boca sequer, ponderemos antes sobre algo bom que a pessoa tenha feito. Algo que admires na pessoa. Porque, já que somos criaturas falantes que gostamos de fofocar sobre isto e aquilo, porque não escolher o lado positivo da história? Qual é a necessidade, ao fim ao cabo, de estar a falar sobre algo que nos desagrada em alguém, que nós não gostamos? Vai fazer alguma coisa mudar? Se o problema é com a pessoa é preciso esclarecê-lo com a própria, e não com o resto do mundo.

    Eu acredito que isto passa apenas por uma mudança de perspetiva, no qual cada um escolhe o que quer ver. Eu, por isso mesmo, a partir de agora acrescento mais outra resolução à minha lista de 2016: Always look at the bright side of life (AND people)! 

 

Resoluções para 2016

    Quero começar este ano a fazer algo que nunca fiz antes: escrever as minhas resoluções (desejos e objetivos) para este ano! Normalmente não penso em fazer este tipo de coisas, porque não gosto de planear as coisas, e depois se correm pró torto fico imensamente frustrada, maaaas.... Ano novo, vida nova, e tradições novas também! Veremos o que dá! Por isso mesmo aqui vai.

 

Em 2016 vou lutar para...

  • Procrastinar menos e descansar mais!;
  • Não stressar tanto com a vida, e levar tudo mais 'na descontra';
  • Conseguir um 18 numa cadeira do mestrado!;
  • Ir pelo menos a 1 Workshop que nunca fui;
  • Visitar pelo menos 1 sítio novo;
  • Conhecer a Colleen Evans pela primeira vez (adoro-a tanto!);
  • Postar mais vezes no blog;
  • Dedicar tempo para acabar de ler pelo menos 5 livros;
  • Começar a ver uma nova série;
  • Fazer mais receitas.

 

[Estou a ver se começo por resoluções relativamente mais fáceis, para não me frustrar e cansar mais facilmente. Wish me luck! E vocês, têm algumas resoluções para 2016?]