Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

A minha experiência como figurante

 

    Hoje resolvi-vos fazer um post muito pedido no meu instagram (se não me seguem ainda, estão à espera do quê? ), que é acerca das minhas gravações como figurante, para a televisão. 

    Participei, pela primeira vez, por detrás das câmaras no dia 1 de Agosto, altura em que falei sobre isso no blog. Recentemente, fiz também um trabalho numa série que vai estrear na RTP. E.. não vale a pena falar-vos muito mais sobre quais as séries em que eu participei nestas duas vezes, sabem porquê? Porque eu acabei por não entrar em nenhuma delas. E hoje vou-vos explicar o porquê...

    O mundo do espetáculo, como muitos imaginam, têm muito mais a passar nos behind the scenes, do que aparenta. Pode não ser grande novidade, mas uma cena que nós vemos de 5 minutos na televisão, na verdade demora um dia a gravar, e uma cena que passa durante 1 hora na televisão, na verdade demorou uma semana. Um mesmo take pode chegar a ser repetido umas 10 vezes, por variados motivos (e não só quando um actor se engana na fala) - porque estava muito barulho e não conseguiram gravar como queriam, porque a atuação não foi a melhor, porque o ângulo não estava perfeito, os timings não correram como planeado, e por aí fora... 

    Por causa disso o horário é muito incerto, e pode haver dias em que as gravações vão das 9h às 15h, como podem haver dias que vão desde as 8h até às 18h (sim, isso chegou a acontecer comigo... ) Porque os figurantes fazem exatamente o mesmo horário, ou pior. Porque ao contrário dos atores, que se pode prever quais as cenas em que eles vão entrar ou não, nos figurantes - como somos anónimos -, nunca sabemos quando vamos ser chamados, por isso precisamos de estar sempre atentos, e disponíveis.

    Outra das coisas que reparei também é que, também contrariamente aos atores, os figurantes têm um tratamento especial... Especial do gênero "Desenrasca-te, porque tu aqui não passas de um mero plebeu, e se não gostas... NEXT!". Por isso, fica-se com as sobras (de tudo!) dos atores principais. Basicamente tratam-nos como bonecos, fantoches.  As pessoas da televisão não estão muito preocupadas se os figurantes têm fome, frio, ou se os seus sapatos estão-lhe a desfazer o esqueleto... E eu compreendo o porquê, como é óbvio o bem-estar da Soraia Chaves é mais importante para a novela, mas acho que também era necessário que garantissem que os figurantes estão motivados para aquilo que estão a fazer, porque sem nós a vossa novela seria... bastante solitária, digamos assim!

    Para além disso aprendi também, com esta experiência, que os figurantes têm que ter bastante paciência. Paciência porque vão ter imensas alturas em que vão ter de fazer tudo à pressa: vestirem—se, maquilharem—se, e comer a despachar para serem chamados para atuar  — e outras vezes em que no fim não vão ser precisos. Mas também vão ter imensos tempos mortos, em que não serão precisos para as cenas, pois chamaram figurantes a mais, e muitas vezes isso origina um desperdício de tempo perdido... E foi isso mesmo que aconteceu comigo. 

    Das duas vezes em que fui chamada para figuração vestiram—me a rigor, pentearam—me, maquilharam... para depois ficar o resto do dia a olhar para as paredes (literalmente!), pois não fui precisa. Para mim o pior nem é tanto não precisarem de mim, é mais a ansiedade em que tive durante todo o dia (das 8h às 18h, como vos disse) sempre na esperança que me chamassem, como prometeram, para no fim ser dispensada. É um sentimento de frustração um bocado difícil de explicar...(Ou se calhar sou eu que sou ansiosa demais )

    Claro que o que acontece a mim acontece também a imensas pessoas, e não estou de forma alguma a dizer que sou uma exceção à regra, nem a dizer que é muito frequente isto acontecer. Porque não é, de modo geral, quando se é chamado, entra—se. Só estou a dizer que esta foi a minha experiência, e tive realmente muita pena de não chegar a aparecer em nenhuma das cenas — apesar de ao aparecer nas cenas também não significava que me iam ver na televisão, porque podia aparecer longe, ou desfocada... Mas pelo menos teria essa experiência.

    E pronto, este foi o meu desabafo acerca do mundo da figuração. Espero que tenham gostado de ouvir ler, em primeira pessoa, a minha experiência na televisão!  Algum de vocês já participou em algo semelhante? O que vos contei era muito diferente do que imaginavam, ou nem por isso?

18 comentários

Comentar post