Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Mais vale um bom desengano, que andar toda a vida enganado

    A linha que separa a verdade da mentira é, muitas vezes, relativa. Relativa porque tanto pode ser muito bom dizer a verdade, como pode ser muito bom dizer a mentira, dependendo do caso. Eu acho piada quando oiço pessoas que dizem "Eu sou uma pessoa muito honesta!", e não sabem realmente o significado de 'honesta', confundindo-o muitas vezes com 'desagradável'. Quando se está sistematicamente a ofender alguém, seja a criticar a sua forma de ser, ou a desrespeitar os seus gostos, as suas crenças, os seus valores... Isso não se chama honestidade, nem frontalidade como alguns dizem, chama-se faltar ao respeito. E isso não fica bem a ninguém, e muitos menos devia ser motivo de orgulho.

    Só que, no outro extremo, também se pode dar o outro caso. É quando, há falta de verdadeira honestidade, vêm as mentiras. Mas não se tratam daquelas leves e bem-intencionadas, que se costumam dar pelo nome de white lies, mas sim aquelas que tem como principal motivo magoar os outros. Chamem-me incrédula, mas duvido que indivíduos que mentem constantemente àqueles os rodeiam, sejam pessoas bem-intencionadas.

    Portanto, qual é a resposta certa aqui?... Não é para isso que estamos todos aqui? Para saber qual é a resposta dos 5 mil? Pois bem meus caros, a meu ver (que vale o que vale), é muito difícil avaliar corretamente a "boa" e "má" verdade, a "necessária" e "desnecessária" mentira, no entanto eu continuo com a minha (a do ditado). Se não formos verdadeiros para com aqueles que amamos, será que os amamos de todo?

3 comentários

Comentar post