Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

O que aprendi, na minha profissão

    Estudar psicologia, na minha opinião, é como tirar um curso para se tornar uma melhor pessoa.

   Talvez esteja a exagerar. Mas faz sentido, até porque se o nosso objetivo é ajudar a pessoa a ultrapassar as suas dificuldades, e a melhorar-se a si própria, temos de melhorar a nós mesmos (psicólogos) em primeiro lugar.

    A Psicologia ensinou-me, por exemplo, a ser uma pessoa menos egoísta (o que não quer dizer que já não seja ), mas aprendi a colocar-me mais facilmente no lugar do outro aprendi!, a pensar mais no seu ponto de vista. Acho tão frequente hoje em dia as pessoas colocarem-se só no seu lugar, na sua pele, e esquecerem o outro, é tão mais fácil. As pessoas ficam abrangidas com os seus próprios problemas do quotidiano, e esquecem-se de que o outro também existe. Eu própria, para conseguir sair dessa situação, vejo-me perguntar a mim mesma "-No lugar daquela pessoa, como é que eu me sentiria?", e isso muitas vezes ajuda-me a 'descer' à razão.

    Depois, aprendi também a ser mais fria em algumas situações. Não quer dizer que seja um coração de pedra (de todo, até porque continuo uma pessoa muito emocional, e choro com facilidade). Mas aprendi a não me deixar afetar de forma tão intensa pela minha dor, e pela dor dos outros. Porque pode acontecer ter consultas de 1 hora com um paciente que não páre de chorar o tempo todo, seja pelo motivo que for, e eu tenho de compreender e empatizar com sua dor, mas não me deixar afetar por isso. E isso treina-se.

    Aprendi também a fazer menos julgamentos acerca dos outros, a não julgar 'o livro pela capa', como se costuma dizer. E não atribuir toda a culpa à pessoa em si: ter em conta todo o seu contexto, a sua forma de vida, o seu passado. No fundo, aprendi a não ser tão extremista no que diz respeito à culpa (que é sempre tão subjetiva...), e antes de apontar um dedo aos outros, apontar um a mim própria, como já dizia antigamente.

    Porque ninguém é perfeito, até porque se fossemos, este mundo seria uma seca. :)

7 comentários

Comentar post