Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Viver para o trabalho?!

  Há alguns dias estava a falar com uma amiga minha que me dizia "-Já reparaste que nós, seres humanos, passamos a nossa vida a estudar, para depois ir trabalhar, sem nunca fazermos pausas, até ficarmos bem velhinhos?". E eu naquela altura até estava a achar a conversa interessante porque nunca tinha pensado desta forma, apesar de achar, na mesma, que ela puderia estar a exagerar. Atualmente não acho. A minha Su tinha toda a razão (como sempre!). Nós portugueses (não falo dos outros, porque não tenho a certeza quanto ao resto) estudamos até onde nos é possível, passando anos e anos no básico até secundário, muitas vezes faculdade, para depois sairmos e cairmos redondinhos no mercado de trabalho, onde passamos o resto das nossas vidas (se tudo correr bem e arranjarmos emprego, digo eu). E reparem que digo "Se tudo correr bem" porque sei o quão difícil é viver-se em Portugal sem ter um emprego fixo, sustentável. Mas também sei que a esse emprego falta adicionar uma outra palavra: saudável. O nosso emprego, se é uma ocupação que nos vai preencher tantas horas da nossa vida, devia ser também em  'conta, peso e medida'. Isto é, não devíamos nascer para trabalhar, mas sim para viver tudo aquilo que temos direito. Seja isso viajar, apaixonar-se, sair, descobrir, aprender, conhecer, ler, etc, etc... Pois é isso que nos faz crescer enquanto pessoas. O trabalho em si mesmo ajuda, mas só não chega, é impossível.

    Um dia o trabalho chega ao fim, e o que somos nós sem ele? Nada. Precisamos de todo um nosso suporte por detrás (social, familiar, e por aí fora...) que nos sustente, alimente, e que nos mantenha sã acima de tudo. Porque quanto a mim, eu já sei, eu não me aguento sem ele (foi esse um dos principais motivos que me levou a cancelar a tese, e concentrar-me apenas no estágio).

    Se atualmente estão a trabalhar, e se-se identificam com o que estou a dizer, por favor não deixem esta oportunidade vos escapar. Peçam uns dias para reestabelecer as vossas energias. Eu sei que nem sempre é possível, mas se estão realmente infelizes (ou menos felizes) com o vosso trabalho porque se sentem fartos de trabalhar, programem um fim-de-semana para vocês. Saíam daqui, vão dar uma volta a um sítio novo, vão ao cinema, ao teatro, reúnam o vosso grupo de amigos de anos, dançem a noite toda até cair, leiam, estejam com as vossas famílias, etc...Mas não se deixem sufocar com o trabalho.

    E não me interpretem mal, escreve isto alguém que ADORA aquilo que faz de paixão, e não trocava o seu trabalho por nada. Mas é como tudo na vida: tudo o que é demais, é conta errada. E tudo o que é excesso, depressa cai na exaustão. É preciso fazer intervalos daquilo que se gosta, para depois virmos com mais saudades, e vontade. E para acima de tudo, virmos mais felizes! Palavra de uma psicóloga! 

2 comentários

Comentar post