Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

"Casados à 1ª Vista"

    Acreditam em amor à primeira vista? E casamento? 

    A SIC resolveu apostar no reality show "Casados à 1ª Vista", - adaptado da versão americana "Married at first sight", - onde vários especialistas (psicólogos, sexólogos e conselheiros matrimoniais) formam casais com base nas suas personalidades, gostos e interesses, sendo que os casais só se conhecem no seu dia de casamento. Depois disso, eles vivem juntos durante 8 semanas, e ao fim desse tempo decidem se querem manter o casamento ou se preferem o divórcio. 

    Como fã de reality shows que sou, devo confessar que estou muito curiosa para saber como é que isto vai resultar em Portugal, e que género de casais vamos poder encontrar... Para já, acho que o Love on Top na TVI vai ter um adversário de peso à altura! Só esperamos que a SIC se saiba redimir depois da Super Nanny...

    E vocês o que acham sobre o amor à primeira vista? E sobre o reality show que vai começar?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

#5 DomingodeConsultório: Dicas para melhorar a auto-estima

autoestima.png

    Boa tarde a todos! Como estão? Hoje temos a tótó mais acarinhada pela blogosfera no divã do nosso Consultório! 

 

    Ela diz: "Detesto comprar roupa. Não consigo escolher nada, acho que tudo me fica mal e pior do que tudo é que sou uma pessoa com um corpo elegante e sim, sou gira, por isso até se podia dizer que qualquer coisa fica bem mas não. Também isto é um problema de auto-estima e auto-confiança, ou melhor, falta destas duas coisas. Que dicas me dás para melhorar estes dois aspectos e passar a ser uma mulher super confiante?"

 

    Em primeiro lugar, minha querida, deixa-me dizer-te que o caminho para a auto-confiança não é nada fácil, e é bom ter noção disso. Não é de um momento para o outro que viramos super-homens ou super-mulheres, tornamo-nos imbativeis, e nada nos pára (infelizmente...). Eu gosto de acreditar que é um percurso que se faz sistematicamente, todos os dias. A partir do momento que tomamos consciência disso, há várias coisas que podemos fazer diariamente:

1- Identificar a/as fonte/s da nossa baixa auto-estima: É algo que já vem de trás, desde que somos pequeninos?; nasceu connosco?; se não, quando é que surgiu?; como nos vêem os nossos familiares/amigos/parceiro amoroso/colegas de trabalho?...

2- Proceder às mudanças necessárias na nossa vida: É necessário reestruturar o nosso ciclo de amizades (e acabar com amizades tóxicas)?, é preciso aprender a comunicar de forma mais assertiva (para não nos deixarmos afetar pelas criticas dos outros)?...

3- Treinar a nossa assertividade. Explico-te o conceito de comunicação assertiva aqui, mas basicamente o objetivo é, cada vez que sentirmos que a nossa auto-estima está a ser magoada por alguém, evitarmos a situação (quando possível), e defendermo-nos de forma correta às acusações da pessoa, para a nossa auto-estima não ser 'beliscada'. Por exemplo, quando um pai mais autoritário for ofensivo, dizer algo do tipo: "Compreendo o que me estás a dizer, mas neste momento estou a sentir-te exaltado, e estou-me a sentir magoado/a com as tuas palavras, por isso vou-me retirar para podermos falar quando estivermos os dois mais calmos. Espero que compreendas." A ideia aqui é protegermo-nos, e não nos deixar que nos afetem em situação alguma. Se quiserem, posso fazer um post com mais exemplos de frases assertivas que se deve ter.

4- Enumerar as nossas qualidades e conquistas. Escrevê-las num papel, passar a computador e colocá-las no nosso quarto, perto de nós, para que possamos relembrarmo-nos delas facilmente, é uma possível dica. Afirmarmos diariamente as nossas qualidades para nós mesmos, é outra. O objetivo aqui é substituir pensamentos ofensivos como "és preguiçoso/a", "és feio/a" por pensamentos saudáveis, e verdadeiros.

5- Evitar comparações com os outros, e críticas (a nós, e ao mundo). Assim que nos dermos conta da nossa 'voz interior' a criticarmo-nos, tomar consciência e parar o pensamento. E questioná-lo: é completamente válido?, que evidências tenho para pensar assim?, e que evidências tenho para pensar que é falso?, é útil para mim pensar isto de mim?, e reavaliá-lo para ver se é 100% correto. Na grande parte das vezes um pensamento é apenas isso, um pensamento (errado). Não passa disso, e não chega a facto.

 

    O que acharam do Consultório de hoje? Para terem aqui a vossa questão respondida para a semana só têm que: comentar este post com a vossa questão (em anónimo se não se quiserem expôr, ou com o vosso blog), comentar o post do meu instagram que irá sair sobre o Domingo de Consultório Aberto, OU mandar um e-mail para umacartaforadobaralho@hotmail.com (onde podem, mais uma vez, identificar-se ou não, conforme queiram ou não manter o anonimato). 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

A respeito da violência no namoro

    Há coisas que eu vejo na televisão que me deixam extremamente revoltada, e esta é uma delas: "Jovem de 22 anos atacou a namorada à facada" - dizia uma notícia no Você na Tv de ontem. Como se a notícia em si já não fosse chocante o suficiente, apesar das inúmeras notícias nos programas de manhã com casos destes - infelizmente -, o que me deixou mais chocada ainda foi o que os comentadores vieram dizer a seguir.

    Segundo a notícia, o rapaz esfaqueou duas vezes a namorada, no abdómen e na anca, podendo este ser acusado de tentativa de homicidio. No entanto, para já, as autoridades estão ainda a tentar apurar o que aconteceu e os motivos da agressão, e por agora o rapaz está em liberdade. Liberdade essa que vai durar até aos juízes decidirem o seu veredicto, que de acordo com um dos comentadores do Você na tv, pode demorar mais que um ano.

    Deixem-me ver se entendi corretamente: Um jovem agrediu uma rapariga à facada, possivelmente com a intenção de matá-la, e as autoridades responsáveis vão deixá-lo em liberdade até os juízes darem a sua sentença? Que pode demorar anos a acontecer...?

    Até lá estamos há espera do quê? Que a rapariga recupere, e saia do hospital para o namorado a matar de vez? Desculpem a frieza, mas eu gostaria de saber desde quando é que a justiça deste país esqueceu-se que estamos a lidar com pessoas! Neste caso, trata-se de um homem perigoso, que está a meter em risco a vida de outra pessoa! Desde quando é que isto virou uma selva, em que se pode fazer o que se quer e sair impune? Que m**** de moral estamos nós a ensinar aos nossos filhos? 

    O que mais me revoltou foi a tranquilidade que o senhor Aníbal Pinto dizia "Toda a gente tem o direito à sua liberdade, até ser considerado culpado, e neste caso, ainda não temos provas se este rapaz é culpado, por isso é um homem livre como toda a gente". A si digo-lhe o seguinte: Deus queira que nunca tenha que passar por isto, mas por 2 minutos apenas, imagine a sua filha, mulher, irmã... a ser agredida fisicamente por um homem, à facada. E agora imagine-a deitada numa cama de hospital, enquanto o marginal agressor passeia, livre, alegremente nas ruas... Quando sentir essa revolta interna ao ver esse sujeito impune de qualquer prejuízo, venha-nos falar em justiça.

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

O drama das sandálias

sandalias.png

 

No outro dia estava a comentar com uma amiga minha que tenho um problema em encontrar calçado bonito para o verão, neste caso, sandálias. Ou são todas rasas e plain old boring, ou então plataformas super altas que pareço um peru desajeitado a andar com elas.

E ela concordou comigo! E contou-me que usa ténis exatamente por causa disso! Não é porque adora ver os seus pés a arder com o calor dos ténis! Não, é porque é o único calçado bonito para o verão...

E vocês, têm algumas sandálias bonitas para o verão? Se sim... ONDE RAIO É QUE AS COMPRARAM? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

#4DomingoConsultório: Dificuldade em tomar decisões...

garfield.png

    Bom domingo a todos! Hoje é dia de abrir o nosso consultório! (Fico feliz por ainda gostarem de ouvir o que esta gajinha desbaralhada tem para dizer, por isso muito obrigada!! ). Hoje foi a nossa querida desarrumada a deixar-nos a sua questão!

    "Um dos problemas que me afectam mais é não conseguir tomar decisões. Fico sempre com aquela sensação de que ao decidir algo vou estar a "perder" outra coisa, e que ambas as decisões têm coisas negativas e positivas, sendo-me extremamente difícil escolher uma delas.... Muitas vezes acabo por evitar a escolha e não decidir nada, adio, adio, até perder a oportunidade. Isto tem prejudicado a minha vida em muitos aspectos. Já ando a ver uma psicóloga porque a situação tornou-se insustentável... mas gostava de saber a tua opinião sobre este "problema".

    Cara desarrumada, a meu ver, a dificuldade em tomar decisões pode ter a ver com:

  • A falta de confiança que temos em nós próprios: Por sermos pouco seguros podemos ter medo da reação dos outros e/ou não nos sentirmos à vontade para tomar uma determinada decisão. Neste caso, há que trabalhar a nossa auto-estima e despreocupação com o que os outros pensam, de forma a sentirmo-nos menos 'culpados' da nossa decisão. Há que ter em conta que em primeiro lugar temos de pensar no que é bom para nós e naquilo que nós queremos, e nunca nos devemos sentir mal por isso!
  • Ou... Não sabermos o que é que queremos: Muitas vezes por pensarmos demasiado nos outros, podemo-nos esquecer o que queremos para nós próprios. Ou então, temos dificuldade em escolher a melhor opção por conseguirmos ver os pros e contras das duas escolhas. Nessa situação devemos explorar, sempre que possível, as duas opções em causa, de forma a conhecermo-nos melhor, e, no futuro, sabermos dizer de forma mais assertiva o que gostamos mais. Lembremo-nos: a prática leva à perfeição. Podemos demorar a tornarmo-nos mais decididos, mas é um treino constante que bem cumprido, dá frutos.

    Apesar de tudo isto, aconselhava-te a manter as "visitas regulares" à tua psicóloga.  A dificuldade na tomada de decisões está muito relacionada com o stress e ansiedade. E muitas vezes com estes níveis emocionais estabilizados, processos cognitivos como a tomada de decisões e o raciocínio lógico trabalham muito mais facilmente! Boa sorte!

    E por hoje é isto! Gostaram? Para terem aqui a vossa questão respondida para a semana só têm que: comentar este post com a vossa questão (em anónimo se não se quiserem expôr, ou com o vosso blog), comentar o post do meu instagram que irá sair sobre o Domingo de Consultório Aberto, OU mandar um e-mail para umacartaforadobaralho@hotmail.com (onde podem, mais uma vez, identificar-se ou não, conforme queiram ou não manter o anonimato). 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

Desafio #ELEOUELA

 

    Foi este o desafio lançado pela Maria das Palavras no instagram, onde eram criadas sondagens do género "Quem vai fazer o pequeno-almoço?" ou "Quem fica com o comando da televisão?", e o público decidia quem fazia o quê: Ele, ou Ela. Eu diverti-me imenso ao ver os resultados da Maria, então decidi, em conjunto com o gajinho, entrar também na brincadeira! 

    Por isso vai aqui a lembrança: Quem ainda não me segue, e quiser votar em qual dos dois toma estas decisões, o meu instagram é @umacartaforadobaralho. Passem por lá, que ainda vão a tempo de votar! 

    Amanhã terminam as sondagens, e no Domingo eu e o gajinho vamos cumprir os vossos desejos, a pedido de muitas famílias... Espero que gostem! 

    E...ah! Todos os leitores estão convidados para o desafio! Vão ver que vão achar um fartote fazer este desafio com o/a vosso/a cara metade!!  

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

Youtubers e as Histórias da vida real

youtubers.png

    Desde que me conheço que sempre fui fã de reality shows. Cresci com o Big Brother, na minha adolescência apaixonei-me pelo The Bachelor, Catfish e outros afins da MTV, e atualmente perco-me com um Secret Story (#rip).

    Sinceramente, nunca tive vergonha em mostrá-lo - não só no blog como na vida real, - e todas as pessoas mais próximas de mim sabem o quão adoro reality shows. Mas ultimamente tem surgido algo MELHOR do que os reality shows: os youtubers. Se pensarem bem, os youtubers são pessoas que criam o seu próprio conteúdo, no seu canal, contando as suas histórias de vida. Histórias estas que seguimos religiosamente, como se de episódios de um programa se tratassem. E eu admito, estou rendida a isto!

    E não é só aos youtubers americanos que me refiro, os portugueses também têm o seu lugar especial no meu  (apoiar o que é nacional, ora lecas! ). Seja a fulana tal que engravidou, o casal xis que se separou, o drama daquelas vidas reais (Tanacon) incorporou-se em mim de tal forma, que é como um vício chato que não consigo largar! Eu vivo os seus vlogs, as suas histórias, e as suas vidas como se vidas de amigos meus se tratassem!

    E para todos aqueles que já estão prontos a criticar-me, pela minha queda por reality shows e por todas as histórias "fabricadas" (ou não) no youtube, antes de falarem, sugiro-vos apenas que reflitam sobre uma coisa: Vocês também não seguem amigos, colegas e desconhecidos no facebook, snapchat (quem ainda usa... ), instagram, e blogs acompanhando o seu dia-a-dia nos stories, e os seus desabafos nos seus posts? Se a resposta é sim, não há muito por onde me possam julgar, pois vocês próprios estão a ver os reality shows de quem vos segue. Estão a ver as histórias dos vossos conhecidos na vida real!

    Por isso juntem-se mas é aqui à Tia Carta, vão buscar uma mantinha e as pipocas, and... let the show begin

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

#3 DomingodeConsultório: Ansiedade

 

    Ora boas tardes!! Hoje é domingo, sabem o que isso significa? Isso mesmo, é Domingo de Consultório, o que significa que o nosso consultório está aberto!  

    Hoje tivemos a Emma como convidada ao nosso divã, e ela veio-nos colocar uma pergunta muito interessante, ora vejam só (e obrigada minha querida pela tua questão!):

 

    A Emmablogue13 diz: "Tenho tendência a imaginar sempre as piores situações. Por exemplo, vou no carro e de repente há um barulho estranho eu começo logo a imaginar que vamos bater e/ou morrer. E nem sou uma pessoa negativa, excepto em situações onde pode haver perigo, mas depois passa. A minha questão é: Isto pode vir a provocar-me ataques de asiedade um dia mais tarde, ou outra coisa qualquer?"

 

    Olá Emma! Na minha opinião, há sempre pessoas que, em situações de stress, tendem a imaginar o pior cenário possível. E isso pode não querer dizer nada, pode simplesmente ser a sua forma de pensar. No entanto, depende muito de como te sentes cada vez que tens esse tipo de pensamentos. A ansiedade é sempre seguida de pensamentos frequentes, que originam um mau-estar no corpo muito grande. Caso sintas o coração acelerado, suores frios ou mais dificuldade em respirar nesses momentos, acho que deves consultar um psicólogo para te avaliar de forma mais completa. No entanto, caso não passem de pensamentos momentâneos e não sintas nada daquilo que mencionei anteriormente, não tens razão para te preocupar.

    E por hoje ficamos por aqui! O que acharam do Consultório de hoje? Para terem aqui a vossa questão respondida para a semana só têm que: comentar este post com a vossa questão (em anónimo se não se quiserem expôr, ou com o vosso blog), comentar o post do meu instagram que irá sair sobre o Domingo de Consultório Aberto, OU mandar um e-mail para umacartaforadobaralho@hotmail.com (onde podem, mais uma vez, identificar-se ou não, conforme queiram ou não manter o anonimato). 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

Tag: 10 Coisas de Verão

Boas! Hoje resolvi fazer um desafio proposto pelas minhas lindas Tótó e Rapariga do Autocarro!  

Adoro receber notificações para fazer estes tipos de tags, por isso desde já um obrigado às duas - e eu sei que é obrigatório agradecer pelas regras do TAG, mas agradeço de forma genuinamente voluntária, e nada forçada hehe 

 

Este tag consiste em fazer uma lista de 10 coisas que pretende fazer este Verão.

 

Regras:

  1. Agradecer a quem o nomeou, fazendo uma ligação para o blogue em questão;
  2. Fazer uma lista de dez coisas que gostaria de fazer - e que sejam exequíveis - este Verão;
  3. Nomear cinco bloggers para fazer o mesmo.

 

Este Verão gostaria de...

1. Passar férias no Algarve, e aproveitar o sol marafado algarvio! 

2. Aproveitar para estar mais tempo com a família, amigos e namorado 

 3. Apanhar um bronze mais a sério este ano! Quero ficar a Rihanna portuguesa 

4. Ler, ler e ler! 

 

5. Ir a um festival de Verão! 

 

6. Treinar a condução para poder tirar a carta (fora do baralho!)!! 

7. Fazer algo novo (ter uma experiência que nunca tive, ir a um sítioque nunca fui...) 

8. Fazer a minha festa de aniversario!!! 

9. Descansar... 

10. Escrever mais no blog! 

 

E os próximos sortudos são... P.P., Hipster Chique, DesconhecidaVox nihili e Nota Dissonante! No entanto, todos aqueles que lêem o blog estão à vontade para responder à tag.

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.

Distúrbio de videojogos: uma doença mental?!

    Recentemente, a OMS reconheceu os 'Distúrbios de videojogos' como doença mental na Classificação Estatística Internacional de Doenças, e o caso parece dar dado "pano para mangas". 

    Segundo a Organização Mundial de Saúde, este distúrbio caracteriza-se como uma dependência do indivíduo em relação aos videojogos, que origina uma falta de controlo na sua vida (que progride ao longo de um período superior a 12 meses), tendo consequências negativas no seu quotidiano: falta de sono, irritabilidade, exclusão de outras actividades do dia-a-dia, etc. O psicólogo Pedro Hubert, coordenador do Instituto de Apoio ao Jogador diz, a este respeito, que “Há provas científicas de que o estímulo para jogar pode ser tão forte como a nicotina e outras drogas. Por cá, há cada vez mais pais preocupados por não saber como ajudar os filhos que se isolam, começam a falhar na escola e vivem para os videojogos". 

    No entanto, os investigadores recomendam ter atenção no diagnóstico deste tipo de patologia, visto que estes casos problemáticos afetam apenas uma minoria das pessoas que se dedicam a atividades de videojogos. É fundamental ter em conta o número de horas que o sujeito passa a jogar, especialmente quando este passa a ignorar outras atividades diárias, em detrimento do jogo.

    Na minha modesta opinião, parece-me que as pessoas podem estar a interpretar este termo de forma errada, pois o distúrbio é visto apenas como a dependência exagerada dos videojogos, que coloca em risco a saúde mental do indivíduo. O caso não pode, nem deve, ser generalizado. A classificação deste distúrbio não significa que toda a gente que jogue videojogos sofra de uma patologia, nem que seja errado jogar.

    Esta é a minha opinião, agora gostava de ouvir a vossa. O que vocês acham? Concordam com a classificação da OMS?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartaforado.