Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Ideias originais para fatos Halloween

    E chegou a minha altura favorita do ano (a seguir ao Natal): O HALLOWEEN! 

    Para mim o Halloween é sinónimo de diversão, convívio com os amigos e...doces (a melhor parte, obviamente!) 

    E como o dia das Bruxas, para mim, não é dia das Bruxas sem máscaras a rigor; trago-vos as minhas sugestões de fatos fantasmagóricos para esta noite:

Sugar Skull Bride (Noiva Esqueleto)

É a minha escolha este ano! Uma mistura do fato esqueleto com um lado assim mais pró moderno acho uma ideia muito engraçada.

 

la casa.png

Personagens da vossa série preferida

(La Casa de Papel no meu caso, cof cof)

  

A Freira (Maldita)

Se queres ser a pessoa mais assustadora do bairro, já sabes o que tens a fazer...

 

 Maquilhagem Pop Art

Esta maquilhagem é uma opção super original e não tão complicada de se fazer!

 

tacobelle.png

 "Puns"/ Trocadilhos

Há muitos fatos deste tipo que só funcionam em inglês, mas taco-belle, freudian-slip (um vestido com frases do Freud), e cereal-killer (um fato com pacotes de cereais revestidos em sangue) são alguns exemplos engraçados de se vestir.  Há mais ideias como estas aqui!

 

     O que acharam das minhas propostas? Já têm ideia de como se vão vestir, ou não costumam comemorar o Halloween? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#16DomingodeConsultório: Os sonhos têm algum significado?

sonhos.png

    No último Domingo de Consultório falei-vos de sonhos, e o Nuno deu-me uma excelente ideia para um próximo post:

 

"Eu gostava imenso de perceber se os sonhos de facto têm algum significado escondido como muitos dizem, ou se são apenas fruto do nosso inconsciente"

 

    Segundo Freud, sim, os sonhos têm significado. Freud foi o psicólogo que mais trabalhou na área dos sonhos, e defende que é através dos sonhos que temos acesso aos nossos desejos inconscientes (que o nosso cérebro finge esquecer para nos proteger), sendo até possível conhecer a origem da sintomatologia de um paciente clínico, e levar à cura. 

    Apesar de Freud achar que todos os sonhos têm o seu valor simbólico, ele acredita que eles se apresentam de maneira muito primitiva, daí a dificuldade (gigante) em conseguir interpretá-los. É importante alertar-vos que a leitura dos sonhos para Freud é bastante sexual.

    De forma geral a sua interpretação difere de pessoa para pessoa, tendo sempre em conta a sua história clínica. Contudo, Freud considerou que há certas representações oníricas fixas, que costumam ser frequentes na grande parte das pessoas. Por isso trago-vos exemplos abaixo de algumas das interpretações mais comuns de se analisar:

  • Quando sonhamos com imperadores, imperatrizes, reis ou rainhas, estas costumam se tratar de representações dos nossos pais. São figuras que são vistas com grande respeito e admiração.
  • Por sua vez, os animais e os parasitas remetem para os nossos filhos, ou irmãos.
  • Sonhar que estamos em casas ou prédios de muros lisos representam muitas vezes homens, já aquelas que apresentam saliências tendem a simbolizar “mulheres”.
  • A água aparece muitas vezes associada a um nascimento, sendo o nascimento aqui também visto como uma mudança da própria pessoa, uma transformação de si mesma.
  • Por sua vez quando sonhamos que estamos na água e salvamos alguém de se afogar, ou somos nós salvos de um afogamento, estamos muitas vezes a retratar a relação que nós temos com a nossa mãe, ou outra relação maternal.
  • Para Freud, sonhar que estamos a voar simboliza, muitas vezes, o nosso desejo sexual.
  • Sonhar que estamos a partir para algum lado incerto, ou que estamos a fazer uma viagem, representa a morte (física, ou a morte "psíquica" - períodos mais depressivos)
  • Por último, Freud atribui enúmeras representações para o órgão sexual masculino, sendo este representado por: bastões, árvores, espadas, pistolas, balões, aviões, jarros, etc. Enquanto que para o órgão sexual feminino ele atribuí sonhos como: cavernas, gavetas, caixas, cofres, vasos, jardins, etc.

    O que acharam das interpretações? Concordam com Freud? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Porque é tão difícil fazer os agradecimentos da tese?

    Os últimos dias têm sido... intensos. Foram os (últimos) pormenores para acertar na tese, os nervos à flor da pele para o grande dia da defesa... Enfim! 

    Mal posso esperar para que chegue Novembro e tenha a dissertação toda entregue, defendida, e despachadinha da silva. Até lá, tive que fazer aquela parte chata da tese: ver se está tudo dentro das normas a formatação, o tipo de letra, as referências bilbiográficas, colocar índice, abstract e...fazer os agradecimentos.

    E, muito sinceramente, nunca pensei que fosse tão difícil (para mim) agradecer a quem me deu mais apoio. Não porque eu não saiba quem é que deu, - porque sei, - mas porque não sei por onde começar. E depois, foi tanto tempo a fazer a tese (eu desisti o ano passado porque não me dava bem com a minha orientadora, e por isso perdi um ano), e deu tanto trabalho quando finalmente a comecei a fazer, que agora, sinto-me como aquelas mães que entregam pela primeira vez o filho na creche e vêem, pela primeira vez, que o têm que deixar ir.

    Eu sei o que estão a pensar "Ainda há um parágrafo atrás dizias que estavas desejosa de te ver livre da tese". Pois, e estou. Mas ao mesmo tempo, não estou. Ao fazer os agradecimentos, sinto que estou a colocar o ponto final definitivo, sem volta a dar, nesta etapa da faculdade. Uma etapa que levou 6 anos da minha vida. 6 ANOS!

    E largar agora uma fase como esta, que nem tão cedo vou regressar, é atirar-me aos lobos da vida, que é como quem diz aos chefes e patrões mal-dispostos. E não é só isso, daqui para a frente é o salve-se quem puder. Não há mais orientadores, professores, colegas de turma que se cruzem no meu caminho. E isso é bom, mas triste ao mesmo tempo...

    Tenho a certeza de que vou ter saudades de ter aulas, mais tarde. De entrar numa faculdade e ter aquele friozinho na barriga ao passar pelos corredores, e ver o ar dos professores... De fazer trabalhos, e até de ter testes! Eu sei, parece de loucos, mas acreditam que quando chegar a vossa vez de dizer definitivamente o "adeus" à faculdade, também vocês vão sentir falta dela 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Review: Casados à primeira vista

5-3.jpg

 

    Quem daqui viu ontem o "Casados à primeira vista", na SIC?  Eu já estava super entusiasmada quando a SIC veio confirmar a sua mais recente aposta, e depois do que vi ontem, vejo que não me vou desiludir com certeza! 

    Reparei que existem algumas pessoas um pouco confusas em relação ao facto dos casais se realmente casarem ou não, e apesar de ainda não ter percebido muito bem como funciona a versão portuguesa, posso-vos dizer como funciona as estrangeiras (as quais eu já era fã!). Nos programas "Married at first sight", lá fora, as pessoas só se conhecem realmente no próprio dia do casamento, contudo elas não se chegam a casar! 

    O que acontece é apenas uma cerimónia em tom de brincadeira, e o casal vai, depois disso, viver juntos durante 8 semanas. Só ao fim desse tempo, cabe-lhes a decisão de se casarem efetivamente, ou de se separarem.

    Por aquilo que percebi, o programa da SIC vai ter algumas alterações pois todas as semanas eles vão ter oportunidade de abandonar o "casamento", algo que difere das outras versões estrangeiras.

    Em relação à estreia de ontem, gostei imenso da forma como o programa está feito. ADOREI ver a intervenção dos psicólogos (obviamente ), os testes de personalidade que aplicam aos candidatos e a forma como eles fazem a compatibilidade entre as pessoas. Até agora também gostei muito dos participantes, havendo grande diversidade: do mais cromo e divertido, até ao tipo mais atleta e sofisticado.

    Uma das coisas que posso salientar como negativo (mas isso também já acontecia nas outras versões) é o facto de, em cada episódio, misturarem a história de 3 ou mais casais, tornando o programa um pouco mais confuso. Às tantas tenho um bocado mais de dificuldade em me lembrar quem é quem, e acharia muito mais simples se em cada episódio fosse apenas a história de um casal até ao fim...

    E vocês, o que acharam do programa?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Chocohólicos Anónimos

 

    Olá a todos! O meu nome é Carta, tenho 24 anos, e.... sou uma chocohólica desde nascença. 

    Sim, sou louca por chocolate. Tudo começou por volta dos meus 5 anos, se bem me lembro. Comecei este vício desde muito miuda. Ainda me lembro das minhas fotos, em pequena, toda lambuzada agarradas às mousses de chocolate... Bons tempos! 

    Depois fui crescendo, entrei na primária, e foi o tempo dos ovos kinder. Parece que foi ontem que tenho a imagem do meu pai, estafadíssimo depois de um dia trabalho, com um ovo kinder surpresa por detrás das costas a dizer "Desculpa, mas hoje não te trago nada, hoje não havia ovinho...". E nisto faz um grande sorriso e exclama "Estou a brincar contigo, aqui está o teu ovo!!" E eu toda maluca aos saltos de um lado para o outro, como se me tivessem oferecido uma viagem à Disneyland, só de ida.

    Já na fase da adolescência, tinha de parecer cool, e uma miuda cool não come ovinhos da Kinder! Por isso, passei para as bolachas de chocolate, aquelas XXL do Pingo Doce (que são igualmente saborosas), e que toda a turma adorava também - uma bela maneira de nos tornarmos populares numa escola, digo-vos eu...

    Podem-se admirar, mas se vos disser que comia chocolate todos os dias desde essa altura, não estou a exagerar. Era literalmente a minha obsessão. Nos bons e maus momentos, lá estava ele, sempre disponível para mim. Há quem bebesse, há quem fumasse, eu enchia-me de chocolate.

    Como podem ver a minha história com o chocolate já vem de longe... E hoje, apresento-me aqui perante vós, para vos dizer que faz precisamente 1 mês que não como chocolate! EU SEI, EU TAMBÉM ESTOU CHO(co)CADA!

    Desde que estou a fazer a maldita dieta da gastroenterite que me condenaram à pior sentença que conheço por aí: afastar-me da ingestão de doces, e logo, do meu mais fiel amigo. Digo-vos desde já que esta minha jornada não tem sido nada fácil, principalmente ao início (onde só fotos que me apareciam, me faziam querer mandar o telemóvel pelos ares), mas neste momento o meu desejo pelo chocolate está muito mais controlado, e sinto-me mais em paz quando estou na sua presença.

    E pronto, foi este o meu testemunho de como tem sido a minha experiência de deixar de comer chocolate, até agora. Alguém quer partilhar a sua? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#15DomingodeConsultório: 7 factos sobre sonhos

   Ultimamente - provavelmente devido aos meus picos de febre -, tenho tido muitos sonhos daqueles que se confundem com a realidade, e por isso deu-me a ideia de partilhar com vocês, hoje, alguns factos psicológicos sobre os nossos sonhos. Hope you enjoy! 

 

1) Todas as pessoas sonham. E todos os dias sonhamos. No entanto, 95% dos nossos sonhos tendem a ser esquecidos pouco tempo antes de acordarmos, mas isso não significa que não os tivémos...

2) Cada sonho tem a duração de 5 a 20 minutos. E em cada noite temos de 4 a 7 sonhos.

3) Todas as pessoas que aparecem nos nossos sonhos já se cruzaram connosco pelo menos uma vez na nossa vida. O nosso cérebro não tem a capacidade de criar rostos humanos, por isso nenhuma pessoa que apareça nos nossos sonhos é verdadeiramente desconhecida! (não é assustador?!)

4) Quando estamos na fase do sono profundo, entramos na fase REM (Rapid Eye Movement). Nessa fase há a parelesia dos nossos músculos voluntários, para nos impedir de nos deslocarmos durante o sono. Chama-se assim pois os nossos olhos começam a movimentar-se rapidamente de um lado para o outro.

5) Segundo Freud, a nossa mente está dividida em: consciente, pré-consciente e inconsciente. Este último guarda tudo aquilo que o indivíduo tem dificuldade em lidar no dia-a-dia, e que como é demasiado perturbador para ele, ele torna inconsciente para não ser incomodado. No entanto, durante o sono, a "censura" que impede que os conteúdos inconscientes se tornem conscientes fica ligeiramente mais fraca, e por isso, deixa "passar" alguma informação consciente, distorcendo-a (e tornando-a em sonhos!).

6) Os sonhos traduzem sempre um tipo de conflito que temos por resolver, seja este parte do passado ou mais recente. (Lembrem-se disto a próxima vez que tentarem examinar um sonho vosso... )

7) Um lucid dream (ou sonhos lúcidos) ocorre quando estamos conscientes que estamos a sonhar, apesar de estarmos a dormir. Como estes sonhos surgem em combinação com o estado consciente e estado REM, o indivíduo consegue controlar aquilo que está a sonhar.

    E por hoje é tudo! O que acharam? Ficaram com mais alguma curiosidade sobre os sonhos, ou a sua interpretação? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Combater o ódio com rap battles

 

    Alguém daqui já viu o vídeo acima? A APAV lançou há dias uma campanha sob o lema "Combater o ódio com respeito", que contou com a participação de 5 rappers portugueses. O objetivo foi combater a discriminação através de rap battles, batalhas entre 'rappers', onde habitualmente são trocadas ofensas e insultos, mas desta vez são antes dadas palavras de incentivos, às vítimas.

    Aconselho-vos vivamente a verem todos os vídeos que fazem parte desta campanha no youtube. Acho a ideia super original e os raps estão giríssimos. A mensagem a passar é forte, e por isso é tão importante divulgá-la! #respectbattles  

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Sistema Nacional de Saúde: de mal a pior

 

    Como muitos sabem, há dias desabafei aqui pelo blog que os últimos dias têm sido um bocado pró horriveis, por causa de uma gastroenterite chata que me tem custado a passar. Há quase 3 semanas que estou com febre, tonturas, má disposição e náuseas, e como não tenho visto sinais de melhoria, resolvi ligar para a saúde 24. Vou-vos contar o que-me aconteceu a seguir.

    A saúde 24 reencaminhou-me para o meu médico de família, e marcou-me (supostamente) uma consulta de urgência no meu centro de saúde. Disseram-me que podia ir a qualquer altura, iria sempre ter consulta. Depois de almoço, lá estava eu no posto:

"Lamentamos, mas o seu  médico de família não está cá neste momento."

"Então e não há outro médico das urgências que me possa atender?"

"Não, se o seu médico estivesse cá ainda estava com sorte, mas ele saiu há uma hora..."

Bolas! - pensei - se ao menos tivesse programado para não ficar doente tão tarde...

    Dirigi-me então a um centro de saúde particular. Paguei 40€, e estive há espera para ser atendida quase 3 horas. No final, disseram que não me conseguiam fazer um diagnóstico porque precisava de fazer exames mais detalhados e raio-x, e para me dirigir ao hospital mais próximo.

    Assim fiz. Já eram quase 20h da noite quando dei entrada no hospital. Fiquei até às 3 e meia da manhã (sim, 7 horas no hospital). Lá fiz exames de sangue, à urina, raio-x, e deram-me soro. No final, disseram-me que as minhas análises estavam boas, e passaram-me uns medicamentos para tomar. Disseram para voltar segunda-feira (ontem) ao hospital, para ir às urgências na gastroenterologia, caso continuasse com os mesmos sintomas.

    Como não vi melhorias, ontem fui ao hospital. Desta vez foram 3 horas na sala de espera. No final, fui atendida por um médico de clínica geral que me disse que não havia consultas de urgências na gastroenterologia, a não ser que estivesse a deitar sangue por todos os lados. Podia sim marcar uma consulta para lá, mas só haveria para daqui a um ou dois meses, no melhor das hipóteses. Ou seja, ou estou a morrer e sou atendida, ou então bem posso esperar sentada.

    Resultado, muito dinheiro gasto tanto no hospital, como no centro de saúde, imenso tempo de espera, para ficar praticamente na mesma. Desconfiam que é uma gastroenterite chata, que está a demorar mais tempo do que devia, mas ninguém tem a certeza de nada... E é esta a minha experiência. Há por aí alguém com algum testemunho semelhante? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#14DomingodeConsultório: Análise a apoiantes de Bolsonaro

    Eu sou daquelas que pouco liga à política, contudo, a partir daquilo que consegui apurar, o candidato à presidência do Brasil Jair Bolsonaro: apoia a ditadura militar; defende práticas de tortura e violação; condena a homossexualidade; já fez declarações misóginas, racistas, sexistas, e anti-refugiados...Enfim, é todo ele um amor de pessoa 

    E como pelos vistos, dizem que as sondagens apontam para que ele lidere as eleições, eu pergunto-me: Algo de muito errado se está a passar na nossa sociedade... O que será? 

    E por isso, hoje vim-vos falar da minha análise psicológica aos apoiantes desse senhor. Por exemplo, sabem o que é que o Bolsonaro tem em comum com o Trump? Ambos não se preocuparam com o realismo da sua proposta, e cativam um grande número de pessoas pois mostram-se seguros face à solução de um problema (pouco importa se ela funciona na prática, ou não).

    Isto é, no caso do Bolsonaro:

  • Ele apresenta uma postura de confiança: O síndrome de "idiota confiante", definido por psicólogos, dizia que “Os incompetentes são frequentemente abençoados com uma confiança inadequada, afiançada por alguma coisa que, para eles, parece conhecimento”. Ora para o povo brasileiro, isso era exatamente o que eles precisavam. Com um historial político instável, os brasileiros já só querem um líder que se assuma fiel, a quem possam depositar total segurança.
  • Falta de conhecimento: Pesquisas científicas sugerem que grande parte das pessoas não reconhece "gaffes" no discurso de certos candidatos porque não sabe que se tratam de erros, em primeiro lugar. Além disso, os indivíduos tendem-se a lembrar mais facilmente das atitudes ou emoções de um candidato face a um determinado assunto, do que a sua verdadeira posição. Noutras palavras, a falta de conhecimento sobre os temas, leva as pessoas a regerem-se pelos indivíduos que demonstram apenas uma postura mais "correta" e, mais uma vez, segura e confiante.
  • Ele faz discursos morais e sobre a segurança do povo: Infelizmente, é frequente ouvir-se acerca dos vários casos de violência e crime no Brasil, o que desencadeia um sentimento de medo e insegurança no povo brasileiro. As pessoas têm medo de sair às ruas, querem justiça pelos crimes cometidos no passado, e o Bolsonaro promete-lhes isso mesmo. Num país marcado pelos casos de criminalidade, assegurar a vingança contra os criminosos é o suficiente para fazer o candidato arrecadar milhares de fãs. 
  • Povo maioritariamente religioso: Do que li, vi também alguns relatos de jovens evangélicos, que apoiavam Bolsonaro pois são contra o aborto, as cotas raciais e o comunismo, e acreditam que ele é uma óptima referência para o povo conservador. O que o torna, mais uma vez, um candidato atrativo à presidência.

    E foi esta a minha análise psicológica, neste Domingo de Consultório! O que acharam? Se tiverem alguma questão para a próxima semana, não hesitem em deixá-la nos comentários 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#10Review: Pesquisa Obsessiva

pesquisa obsessiva.jpg

    "A filha de David Kim desapareceu. Ele não a consegue encontrar. Até descobrir quem ela é realmente."

    Foi assim que me cativou a sinopse do filme Pesquisa Obsessiva (ou "Searching" em inglês). Este filme é gravado de uma forma muito curiosa, pois a história é contada através de dispositivos tecnológicos (podem ver o que estou a dizer no trailer), o que torna, na minha opinião, o filme muito mais original e cativante.

    A história demonstra até onde um pai está disposto a ir pela sua filha, que se encontra desaparecida, e a importância das redes sociais nesta sua procura. Hoje em dia, tudo o que somos está online, e é interessante ver como este pai só conhece realmente a filha quando acede ao seu computador. É um thriller atual, que podia muito bem ser baseado numa história verídica, e com um desfecho que me agradou bastante. Recomendo vivamente!

    Alguém por aqui que já ouviu falar deste filme? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Pág. 1/2