Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Sobre sentir falta do contacto humano

(até para uma introvertida, como eu!)

(Imagem divulgada no The New York Times no artigo "How to Hug during a Pandemic")

 

    Eu compreendo as pessoas que querem fazer jantaradas com amigos, ir à praia (mesmo correndo o risco dela estar lotada) e fazer outra qualquer atividade que implique estar fora de casa. Eu juro que compreendo. E compreendo porque sinto exactamente o mesmo.

    Sinto que, dia-a-dia, somos sistematicamente confrontados com a eterna questão: "Como é que eu posso fazer aquilo que eu quero fazer e continuar protegido/a da Covid-19?"  E a resposta mais rápida é lógica é: ficando em casa, e saindo/ convivendo o mínimo possível com outras pessoas. Mas, caramba, estamos a fazer isso há 5 meses!
    São 5 meses passados maioritariamente em casa, a trabalhar, a conviver com as mesmas pessoas (ou para aqueles que estão sozinhos, a conviver apenas consigo próprio) e raramente vendo a luz do dia. Isto não é fácil!
    O ser humano não foi feito para isto. Nem mesmo eu, que sempre me considerei uma introvertida assumida, que prefere muitas vezes passar o seu tempo sozinha. Sinto falta do contacto humano! Do toque, dos beijos, dos abraços...
Estamos, sem nos aperceber, a desenvolver personalidades cada vez mais frias, onde o contacto social é desvalorizado, e onde a solidão ganha espaço para surgirem outros problemas do foro mental como a depressão, a perturbação de pânico, a fobia social...
    E acho que muito pouco se fala disto, ainda, infelizmente. É o jogo do ignorar o obvio: sabemos que a pandemia ainda está bem presente, que nos afeta a nível pessoal e emocional, mas ainda assim escolhemos ignorar aquilo que estamos a sentir (para "debaixo do tapete", como se costuma dizer) na esperança (?) que aquilo que estamos a sentir desapareça.

    O que eu quero dizer com isto é que é perfeitamente normal estarmos mais ansiosos, stressados, preocupados, e instáveis numa altura como esta. A pandemia ainda cá está, continua a ter um grande impacto nas nossas vidas (a acrescer a todos os problemas que surgem no nosso dia-a-dia, a par da Covid-19), e mais vale termos a noção de que isto nos está a afectar do que fingir que nada está a acontecer, e que tudo já está como era dantes (porque está longe de estar).

    Por isso, pessoal que está a ler este post: Tomem bem conta da vossa saúde física, mas não descuidem do vosso bem-estar emocional. Se sentem que todos estes desafios estão a ser demasiado complicados de lidar, e que isso pode estar a reflectir-se na vossa vida diária (como dificuldade a adormecer, problemas nos relacionamentos, binge eating, etc.), ponderem usufruir de um acompanhamento psicológico. É benéfico para toda a gente, e é um investimento acima de tudo para a vossa saúde!

    Se precisarem de algum conselho ou dica sobre psicólogos de referência, podem-me enviar um e-mail que eu vou-vos tentar aconselhar dentro das vossas necessidades. Tenham uma boa noite 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.