Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Análise Psicológica: "A Rede"

rede.jpg

 

    Deu ontem a última parte da reportagem "A Rede" no Jornal da SIC, e para quem acompanhou desse lado, gostava de saber se também ficaram com as mesmas questões 'penduradas', que eu fiquei.

    Pelo que eu percebi, uma mulher dos seus 40 anos fez-se passar por mais do que uma pessoa (perdi a conta ao número de perfis falsos que ela criou) das quais roubou as suas fotos; criou uma história à volta desses personagens - que incluía o aparecimento de cancros, mortes, acidentes de viação, etc., e envolveu uma série de pessoas na 'vida' destes personagens durante 2 anos... Isto é aquilo que se sabe, porque uma grande parte de mim acredita que ela criou (e ainda mantém) muitos mais perfis falsos que ainda não foram descobertos, e que estão - ainda - a prejudicar a vida de muitas pessoas.

    E as minhas questões, que ficaram por esclarecer, são: Quais foram os motivos reais que levaram esta fulana a infernizar a vida destas pessoas (que choravam e sofriam com estas manipulações emocionais constantes)? O que lhe vai acontecer no futuro? Fica livre para "magicar" as mais sofisticadas novelas da vida real? Continua a exercer a sua atividade profissional de professora? E de mãe? Será um pedido de desculpas e meia dúzia de tostões suficientes para pagar todo o desgaste emocional que provocou, em tanta gente?

    Eu posso não ter as respostas, mas tenho algumas sugestões. A minha hipótese é que esta mulher apresenta traços de psicopatia - também chamada por Perturbação Antissocial da Personalidade. Indivíduos com esta patologia apresentam, segundo os critérios do DSM-5, um padrão global de desrespeito e violação dos direitos dos outros, por incapacidade de se conformar com as normas sociais. São conhecidos por serem mentirosos compulsivos, e por usarem nomes falsos e enganar os outros, a fim de obter lucro ou prazer. Têm ações irresponsáveis, desrespeito por si e pelos outros e uma total ausência de remorsos (indiferença por terem magoado ou maltratado alguém).

    Por isso mesmo, achava fundamental que esta mulher fosse avaliada por um técnico de psicologia/psiquiatria, e receber o devido tratamento (seja ele medicamentoso, e/ou de internamento psiquiátrico). A meu ver, não deveria dar mais aulas até obter a devida aprovação pelos técnicos; e os filhos deveriam ser alvo de visitas de um assistente social, até ser comprovado que a mãe não representava um perigo para eles.

    Isto porque, para quem não sabe, a psicopatia é dos distúrbios mentais mais graves do espectro das doenças mentais, e pode também apresentar sinais de agressividade, violência, e comportamentos sexuais exacerbados, o que - como é óbvio - coloca em risco a relação destes indivíduos com os outros...

    Algum de vocês viu a reportagem? Qual é a vossa opinião?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#14DomingodeConsultório: Análise a apoiantes de Bolsonaro

    Eu sou daquelas que pouco liga à política, contudo, a partir daquilo que consegui apurar, o candidato à presidência do Brasil Jair Bolsonaro: apoia a ditadura militar; defende práticas de tortura e violação; condena a homossexualidade; já fez declarações misóginas, racistas, sexistas, e anti-refugiados...Enfim, é todo ele um amor de pessoa 

    E como pelos vistos, dizem que as sondagens apontam para que ele lidere as eleições, eu pergunto-me: Algo de muito errado se está a passar na nossa sociedade... O que será? 

    E por isso, hoje vim-vos falar da minha análise psicológica aos apoiantes desse senhor. Por exemplo, sabem o que é que o Bolsonaro tem em comum com o Trump? Ambos não se preocuparam com o realismo da sua proposta, e cativam um grande número de pessoas pois mostram-se seguros face à solução de um problema (pouco importa se ela funciona na prática, ou não).

    Isto é, no caso do Bolsonaro:

  • Ele apresenta uma postura de confiança: O síndrome de "idiota confiante", definido por psicólogos, dizia que “Os incompetentes são frequentemente abençoados com uma confiança inadequada, afiançada por alguma coisa que, para eles, parece conhecimento”. Ora para o povo brasileiro, isso era exatamente o que eles precisavam. Com um historial político instável, os brasileiros já só querem um líder que se assuma fiel, a quem possam depositar total segurança.
  • Falta de conhecimento: Pesquisas científicas sugerem que grande parte das pessoas não reconhece "gaffes" no discurso de certos candidatos porque não sabe que se tratam de erros, em primeiro lugar. Além disso, os indivíduos tendem-se a lembrar mais facilmente das atitudes ou emoções de um candidato face a um determinado assunto, do que a sua verdadeira posição. Noutras palavras, a falta de conhecimento sobre os temas, leva as pessoas a regerem-se pelos indivíduos que demonstram apenas uma postura mais "correta" e, mais uma vez, segura e confiante.
  • Ele faz discursos morais e sobre a segurança do povo: Infelizmente, é frequente ouvir-se acerca dos vários casos de violência e crime no Brasil, o que desencadeia um sentimento de medo e insegurança no povo brasileiro. As pessoas têm medo de sair às ruas, querem justiça pelos crimes cometidos no passado, e o Bolsonaro promete-lhes isso mesmo. Num país marcado pelos casos de criminalidade, assegurar a vingança contra os criminosos é o suficiente para fazer o candidato arrecadar milhares de fãs. 
  • Povo maioritariamente religioso: Do que li, vi também alguns relatos de jovens evangélicos, que apoiavam Bolsonaro pois são contra o aborto, as cotas raciais e o comunismo, e acreditam que ele é uma óptima referência para o povo conservador. O que o torna, mais uma vez, um candidato atrativo à presidência.

    E foi esta a minha análise psicológica, neste Domingo de Consultório! O que acharam? Se tiverem alguma questão para a próxima semana, não hesitem em deixá-la nos comentários 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.