Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Crónicas de uma estagiária: O fim

 (Leia-se o gif: Come me sinto por dentro vs Como mostro por fora) 

    É verdade, o meu estágio chegou ao fim. Foram 4 meses de muita labuta, esforço e dedicação, por isso tenho, a partir deste mês, o merecido "descanso de guerreira". Digo descanso entre aspas porque ainda está a tese por terminar e ainda há muito por fazer, mas a partir de agora já não vou viver num stress de horários, preocupações chatas, e falta de tempo para as minhas coisas.

    Em modo geral, posso dizer que este estágio foi uma experiência única: conheci gente nova, tive o peso de muita responsabilidade nas minhas mãos, aprendi como funciona uma empresa privada por dentro, tive pela primeira vez a experiência de receber um ordenado, e melhor, ganhei oportunidades profissionais! A nível pessoal e curricular foi óptimo, porque sinto que cresci imenso e aprendi muito sobre mim própria, nomeadamente as minhas capacidades e os meus limites. Essa foi para mim a melhor mais-valia que tirei daqui: o meu crescimento pessoal!

    Como tudo na vida, para além dos seus "altos" teve também alguns "baixos". Primeiro, aprendi que este trabalho era muito mais exigente do que eu pensava inicialmente, e quando criamos certas expetativas que depois vão abaixo, o choque pode muitas vezes ser complicado de encarar... E depois, aprendi também que era preciso uma disponibilidade gigante, não só a nível de carga horária mas também psicologicamente. O que nem sempre é fácil quando precisamos de disponibilidade mental para encarar os desafios do dia-a-dia, a faculdade, os nossos relacionamentos pessoais, e por aí fora...

    Esta foi a minha experiência pessoal mais próxima de um emprego que tive até agora. Que oportunidades vocês já tiveram de trabalho, e como vos correu? Foi parecida à minha experiência, ou nem por isso? 

A importância da motivação

 

    Se querem a minha opinião acho que a motivação é muito desvalorizada nos dias de hoje, principalmente na área laboral. Um trabalhador, seja em que emprego estiver - mesmo que no emprego de sonho da vida dele -, precisa de estar motivado para o que está a fazer. E isso implica uma série de condições como: a sua área/local de trabalho, os recursos que tem, a remuneração que recebe, o seu horário de trabalho, as relações com os restantes trabalhadores... Infelizmente, muitas empresas parecem atualmente esquecerem-se da importância de todos estes factores.

    O objetivo da empresa é lucrar, tudo bem, é fazer o máximo pelo menor número de recursos possíveis... Mas será que às tantas não se esquecem que estamos a trabalhar com pessoas, seres vivos? E que essas pessoas têm pensamentos, emoções, opiniões... para além de que toda uma vida, para além do trabalho?

     A própria definição de motivação nos diz que é "a força capaz de mover o indivíduo à ação, provocando no mesmo uma mobilização para iniciar, e manter-se focado num objetivo." (Robbins, 2002). Se o indivíduo não está direccionado para a ação, seja qual for o motivo, vai pôr em causa não só a sua saúde mental, - pois se está desmotivado é porque sente um desgaste emocional de alguma ordem, - mas também o seu trabalho, fazendo-o de forma mais contrariada, mais 'mecânica', e logo, surgem mais facilmente erros no que está a fazer.

    Logo, trabalhadores menos motivados geram menor produtividade. A solução? Arranjar estratégias que contribuiem positivamente para as necessidades dos trabalhadores, começando imediatamente por ouvi-los, a fim de saber o que eles precisam. É menos horas de trabalho? É aumento de ordenado face às suas funções? É boa relação com os restantes colegas de equipa?...

    Vou-vos ser sincera, neste momento estou muito pouco motivada com o meu estágio, porque acho que me faltam uma série de condições - que nem vale a pena mencionar aqui - para que consiga fazer um bom trabalho. E claro que, inevitavelmente, isso afeta o meu estado de espírito. Estar diariamente a trabalhar em algo que não sinto retorno positivo, ou que sinto muito pouco (visto que a única coisa que vejo é mais trabalho acumulado), faz-me sentir exausta. E adorava conseguir mudar isso.

    Porque, muito sinceramente, não acho que o povo português "não queira fazer nenhum" como muitos erradamente dizem, o problema é ter falta de condições para fazer aquilo que quer, o que acaba por desmotivar qualquer um...

    O que é que vocês pensam sobre este assunto?

Crónicas de uma estagiária: O que vou fazer com o meu primeiro ordenado?

    Para os mais desatentos ao blog (ou para as pessoas com vida), é verdade, a Carta tem estado ausente durante estes dias. Tenho postado pouco, comentado menos, lido menos posts vossos... Mas isso não significa que fugi! Eu estou aqui, bem vivinha da silva - ou pelo menos a tentar-, simplesmente tenho estado atolhada de coisas para fazer, e como até ao fim-de-semana trabalho, e ainda a tese requer atenção, tem sido difícil arranjar tempo seja para o que for... Mas por falar nisso, estamos quase, QUASE, no final do mês. E sabem o que isso significa? Adivinharam! Estou quase a receber o meu primeiro ordenado!  

    Como muitos sabem, eu nunca trabalhei a receber um ordenado, simplesmente fui fazendo part-times, ou estágios (não remunerados). Pois bem, graças à minha bolsa de estágio, vou receber pela primeira vez um 'ordenado' que corresponde ao valor de um salário mínimo, em Portugal. Eu sei que não é muito, mas como sonhadora que sou, isso não me impediu de fazer a minha listinha de coisas que pretendo usufruir, utilizando o dinheiro da minha bolsa:

  • Quero tirar a Carta de Condução, FINALMENTE!
  • Quero pagar as propinas da Ordem dos Psicólogos, para ser finalmente reconhecida como uma... 
  • Quero Viajar mais. Já faz um tempo que fiz uma viagem fora do país, e queria muito que isso mudasse este ano! Tenho estado a ver a viagem da Maria das Palavras à Islândia, e a roer-me de inveja (...positiva! Porque eu não me importo que ela viaje por lá, mas pode-me levar na bagagem que eu não me importo) 
  • E por último, mas não menos importante, quero poupar para quando tiver a minha casinha.

    E enquanto isso tudo não acontece, bora mas é trabalhar, que eu não sou nada pouco exigente com as coisas que ainda agora pedi! eheh

    Vocês lembram-se no que é que gastaram o vosso primeiro ordenado?

Este Carnaval vou-me mascarar de...

Easy_Queen_of_hearts_costume_Cuckoo4Design_ductTAP

    ...TCHANAAN!!! Este Carnaval, a Carta vai revelar a sua verdadeira identidade... de Carta.

    Ahahah Era giro, não era? Pois... Mas não dá. (Talvez no próximo, quem sabe...) Este ano vai ser passado a trabalhar, porque tal como noutras mil outras empresas privadas, na empresa do meu estágio também não há cá férias do Carnaval para ninguém... 

    Querem então saber qual vai ser mesmo o meu fato, este ano?  Secretária sexy (?), agarrada ao seu portátil, a fazer telefonemas importantes e tratar de pagamentos de última hora. Original, hun? 

    Este Carnaval para mim vai ser muito diferente dos anos anteriores, porque pela primeira vez não me vou mascarar... Vou estar a trabalhar os dias todos, e como o meu estágio é daqueles que tem hora de entrada, mas não de saída, torna-se difícil sair para festejar o que quer que seja. :(

    Mas deixem lá, eu no Halloween compenso heheh

    E vocês? Estou curiosa para saber quais são os vossos planos para este Carnaval, e se se mascaram, ou não ligam a isso! 

 

Crónicas de uma estagiária: o peso da responsabilidade

responsability.jpg

 

    Ser responsável por uma empresa é dose! E eu que o diga!

    Nos últimos dias, o meu serão tem-se resumido a computador-telemóvel-computador de novo, a fazer trabalho de secretária. E digo—vos desde já, as secretárias são muito pouco valorizadas na nossa sociedade, porque o trabalho backoffice é super preenchido...e há sempre coisas a fazer! 

    Se por lapso, esqueceste de enviar um email à empresa tal, lá tens que fazer trinta por uma linha para corrigir o teu erro para não manchar o nome da empresa, e se te enganas num pormenor de contas, lá ficas a dever dinheiro ao senhor ípsilon...

    Vou-vos confessar: É um quero e não quero constante.  Quero, porque quero mostrar aquilo que sou capaz, e estou entusiasmada para melhorar as minhas capacidades. Não quero: ter tanto peso nas minhas mãos, porque me assusta. E tenho saudades da altura em que não tinha tanta coisa para me preocupar. É assustador e desafiante ao mesmo tempo, um misto de emoções que pr'a aqui vai... 

    Vamos ver o que os próximos episódios me reservam... 

Crónicas de uma estagiária: O início!

    Ora, como é que foram os meus primeiros dias como estagiária perguntam vocês? 

    Como sabem fui escolhida para um estágio numa empresa privada, e por isso achei que seria giro se criasse uma nova rubrica para contar as minhas aventuras e desanventuras neste meu novo mundo de pessoas sérias e trabalhadoras (que medo...). 

    Primeiro, conheci imensa gente nova, fui apresentada a potenciais (futuros) patrocinadores da empresa, onde tive de fazer o que se chama networking (que é como o tuga típico, como eu, diz: "fazer connects"). E depois, contactei também com os atuais profissionais da mesma, que são carradas deles.

    Não tem nada a ver com o meu estagiozinho do Centro de Saúde onde era eu, a minha orientadora, e poucas mais estagiárias. Naa... Nas empresas profissionais privadas, a coisa é à séria e não se brinca em serviço!

    Depois, fiquei a conhecer o funcionamento da empresa em si. E percebi que há  muitoooo mais por detrás, do que parece. Temos a direção, os patrocinios, os recursos humanos, o setor de marketing e vendas, o de publicidade, o de informática, e tanto mais.. E todos eles têm de estar constantemente em contacto, de forma a potencializar o crescimento da empresa. Porque tudo vai mudando, o mundo digital se atualizando, e não se pode ficar para trás, porque a competência é imensa...

    E pronto, até agora fiquei-me por aqui. Como ainda estou na fase inicial do estágio, ainda só estive a "mergulhar" um bocadinho por dentro da empresa, e ainda não comecei propriamente a pôr mãos à obra. Em breve terão mais novidades, com certeza!