Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

#33DomingodeConsultório: A depressão e o risco de suicídio

 

    Ultimamente têm sido vários os casos de suicídio, relacionados com a perturbação depressiva major, que tenho visto na televisão. E os números são claramente assustadores, mas mais preocupante ainda é a falta de prevenção que há nesta área com pessoas que estão em risco!

    Por isso mesmo, hoje resolvi-vos falar da depressão e do risco de suicídio, para não só vos alertar de alguns dos sinais mais frequentes, como também medidas que possam tomar quando estiverem perante um caso deste tipo.

Sintomatologia do transtorno depressivo major:

  • Tristeza e ansiedade permanente, na maioria dos dias;
  • Sentimento de inutilidade, ou excesso de culpa;
  • Fadiga e/ou cansaço extremo;
  • Perda de interesse nas atividades quotidianas;
  • Dificuldades de concentração, memória e na tomada de decisões;
  • Alterações no apetite;
  • Insónias ou hipersónia (dormir demasiado);
  • Pensamentos e tentativas suicidas, etc.

 

    Os sintomas manifestam-se de forma diferente, de pessoa para pessoa, bem como a sua duração. No entanto, em casos extremos, podem levar a situações muito graves.

 

Tratamento e prevenção de suicídio

  1. Primeiramente, deve-se procurar avaliação psicológica/psiquiátrica. Se conhecem alguém que tem experienciado este tipo de sintomas ultimamente, aconselho vivamente o reencaminhamento psicológico, ou psiquiátrico. Nesta avaliação, é tida em conta a natureza da sintomatologia do paciente e os seus episódios depressivos passados, de forma a criar um modelo próprio para o tratamento.
  2. Posteriormente, este tratamento pode ser feito por medicação... (que vai ajudar a reduzir os sintomas)
  3. ... e/ou por psicoterapia/ acompanhamento psicológico (que ajuda a lidar com os pensamentos e emoções negativas, e transformá-los de forma a serem mais produtivos.)
  4. Deve-se também promover mudanças no estilo de vida. Para além do referido acima, deve-se promover: uma dieta rica em nutrientes,exercício físico, atividades fora de casa, encontros com amigos e/ou familiares, etc.
  5. Não esquecer a importância do suporte emocional. Devemos encorajar a pessoa com perturbação depressiva a procurar o tratamento mais indicado, mas também mostrar compreensão, paciência e afecto. Não desvalorizar observações referentes ao suicídio, incentivar a sair, oferecer escuta ativa e promover esperança no tratamento são outras formas de lidar com pessoas com este diagnóstico.

    Por último, se conhecerem alguém com pensamentos suicidas recorrentes, contactem por favor a linha de apoio à prevenção de suicídio SOS Voz Amiga para que vos possa ajudar: 21 354 45 45, 91 280 26 69 e 96 352 46 60.

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.