Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Sobre ser psicóloga...

 

    Hoje - (dia 4 de Setembro) - assinala-se o Dia Nacional do Psicólogo, e por isso mesmo resolvi falar-vos um pouco sobre a minha profissão, e aquilo que faço.
 
    Podia-vos escrever sobre o facto da Psicologia não ser valorizada em Portugal, ou sobre a nossa Ordem servir muito mais para nos roubar ao bolso, do que para nos proteger, mas - e apesar disso ser tudo muito verdade...-, hoje apetece-me mais falar sobre a parte boa de se ser psicóloga. 
 
 
    No outro dia, acerca de uma formação sobre orientação vocacional, percebi porque amo tanto a minha profissão. Num dos testes que são feitos aos miúdos, para os ajudar na escolha da sua vocação, estão as seguintes perguntas: "Que tarefas rotineiras (lidas domésticas, ocupações de tempos livres, etc.) gostas de fazer? E quais achas que são as razões por detrás delas?". Inconscientemente, já vos deve ter vindo algumas respostas às vossas cabeças. À minha também veio: "Gosto de ler livros sobre mistérios, ver séries de thrillers e mistérios por resolver, etc."
    Em suma, tudo o que tem a ver com enigmas, e que me faça querer desvendar algum mistério, dá-me um friozinho na barriga, porque é aquilo que me dá pica, que eu gosto. Logo, me escorreu. Eu adoro ser psicóloga porque o meu dia-a-dia é precisamente esse. É desvendar aquilo que vai na mente de cada um de nós, é procurar 'resolver' os mistérios da mente.
 
    Quando alguém se senta à minha frente, eu não sei absolutamente nada sobre essa pessoa. É a relação que vamos construindo as duas ao longo do tempo que me vai ajudar a perceber quem é aquela pessoa, de onde vem, o que faz, que motivos a trazem à minha consulta... E como eu a posso ajudar, claro. 
    É como um cubo mágico que tenho por resolver, ou um puzzle gigante por completar. É um caminho que se vai construindo, pouco a pouco, pelas duas partes. 
    Isso não quer dizer que consiga desvendar a 100% muitos dos mistérios que passam por mim diariamente, - seria muito ingénua (e parva!) se pensasse que sei tudo sobre essas pessoas -, mas a boa notícia é que estão sempre a surgir novas aventuras para embarcar!
 
     E é por isso que nunca me hei-de cansar desta vida. Porque, - se Deus quiser -, vão haver sempre novas pessoas para acompanhar, e novos mistérios por resolver... 
    Do vosso lado, porque gostam tanto da vossa profissão?
Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

A estreia do Dia Nacional do Psicólogo!

    Hoje celebra-se, pela primeira vez, o Dia Nacional do Psicólogo (4 de Setembro)! E a Ordem dos Psicólogos desafiou-nos, por isso, a escrever sobre "Ser psicólogo é...".

    Ora, para mim, ser psicólogo é, mais que tudo, ser (bom) conselheiro. É, apesar de oficialmente não se dizer, um amigo, que está sempre presente para nós: nos bons, e especialmente nos maus, momentos.

    Ser psicólogo é ter empatia pelos outros, sentir o que o outro está a sentir, sem julgamento e preconceito. O psicólogo tem puramente um único objetivo na vida: ajudar o outro. E acreditem quando digo que o psicólogo faz tudo o que estiver ao seu alcance para ver o bem-estar da pessoa que tem à sua frente. 

    Cada psicólogo tem a sua área de especialidade e a sua personalidade, e não nos podemos esquecer que os psicólogos são também pessoas, e que os seres humanos são seres imperfeitos. Por isso, nem sempre a terapia pode correr como imaginávamos, o psicólogo nem sempre pode dizer aquilo que esperávamos, e a sua abordagem nem sempre pode ser a mais indicada para nós. E não há mal nenhum nisso.

    No mundo, acredito que há relações compatíveis, e relações incompatíveis. E com os psicólogos e os seus pacientes, acredito que acontece a mesma coisa.

    Os psicólogos lidam com a "parte" de nós que tentamos esconder do mundo - o tal inconsciente, que tanto me fascina  -, e por isso a sua profissão nem sempre é fácil. Ajudar a lidar com os medos e ansiedades, fazer um luto difícil, impedir tentativas suicidas são algumas das tarefas que nos cabe a nós, enquanto profissionais de saúde mental.

    Mas é este desafio diário, de lidar com os sentimentos dos outros e com os de nós próprios também, que eu tanto amo de corpo e alma, e não trocaria por nada. Ver a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida da pessoa que temos connosco, é a melhor recompensa desta minha profissão...

    Por último, gostava de homenagear também a nossa querida Ordem dos Psicólogos, que tem feito notórios progressos recentemente, não só com a inauguração desde dia tão especial, como também com a abertura dos Concursos Públicos (que já há 20 anos não existiam), que acho que é algo histórico e digno de ser celebrado. Parabéns a todos nós! 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.