Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

#15Review: Solum (com spoilers!)

media_block_solum.png

 

    Este fim-de-semana tive a oportunidade de ir ver o "Solum" ao cinema, um filme português realizado pelo Diogo Morgado.

    Eu tinha muita curiosidade em ver este filme porque depois de ver o trailer, pareceu-me por um lado muito semelhante aos "Hunger Games", e por outro, tinha algo de 'je ne sais quois' que me intrigava.

 

    Por isso, e sem mais demoras, vou-vos falar das mais valias deste filme:

  1. Foi gravado em Portugal, e mostra as paisagens mais bonitas da ilha dos Açores, o que me faz sentir um orgulho enorme pelo nosso país;
  2. É um filme português diferente dos outros. O que não gosto nos filmes portuguêses é que são todos iguais: ou aquelas comédias sem graça, ou filmes de sexo e violência à mistura. Este destaca-se pela sua originalidade e por ser outside the box;
  3. A moral do filme. A ideia de que a humanidade está a destruir o planeta, por causa do aquecimento global, poluição e guerras, é muito boa e faz-nos refletir sobre o que todos nós temos estado aqui a fazer.

 

    Agora, os pontos negativos (e as principais razões porque a maioria das pessoas detestou este filme):

  • História muito confusa, e houve muitos momentos em que tive dificuldade em acompanhar o que se estava a passar. Também fiquei com muitas questões por esclarecer: O que levou estas pessoas a participar neste jogo? Quais foram os seus motivos? Qual o prémio final deste jogo? Era suposto acreditarmos que o jogo era real, ou virtual? Enfim, muita coisa mal explicada.
  • Os efeitos especiais do filme eram muito maus, o que acabou por me estragar um pouco a minha experiência cinematográfica...
  • E as músicas estavam desnecessariamente altas, e dramáticas, para as cenas do filme.

 

    Por isso, se tivesse que classificar este filme de 0-10, daria provavelmente um 5,5. Porque teve tantas coisas boas como más, mas dou-lhe um bónus pelo plot-twist do final. 

    Algum de vocês já foi ver o "Solum" ao cinema? Se sim, o que acharam?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

O Culpado: o filme "audiobook"

 

    Há dias fui ver este filme ao cinema, e foi algo de tão incrível que nem havia hipótese de não fazer review no blog!

    Sem vos dar spoilers, vou só dizer o básico (que podem ver no trailer). O filme é um thriller, e é todo ele passado numa central de emergências (sim, uma hora e meia de filme toda passada no mesmo local!), onde trabalham aquelas pessoas que atendem os telefonemas do 112. Por isso, aviso-vos já: se não gostam de filmes parados, ou se a vossa perdição são filmes cheios de ação e movimento, este filme não é definitivamente para vocês.

    No entanto... se gostam de boas histórias, cheias de suspense, mistério e bons finais (como eu!), podem continuar a ler. O que acontece é que a história foca-se num ex-polícia, que durante o seu trabalho, atende uma chamada de urgência de uma mulher raptada. No entanto, a chamada vai abaixo e a partir daí o protagonista começa a fazer tudo o que tem ao seu alcance para conseguir resgatar esta mulher em perigo. Mas... o crime toma proporções que ninguém estava a contar.

    Na minha opinião, este filme é genial não só pela história que nos prende desde o início, como também pela forma como ele está feito. Como vos disse, ele é todo passado numa central de emergências, o que implica que toda a "ação" que acontece é passada através dos telefonemas que o ex-polícia recebe: desde os gritos que ele ouve da mulher raptada, até ao diálogo com o seu raptor, etc. Vocês em momento algum vêem as personagens onde o crime acontece, apenas ouvem as suas vozes, os seus passos, etc. Tudo o resto cabe-vos a vocês imaginar o que aconteceu!

    Por isso, meus caros, é que considero este filme um excelente audiobook, e uma excelente oportunidade para colocarem a vossa imaginação em prática.  "O Culpado" tem a classificação de 7,6 no IMDB, e o seu trailer está disponível aqui, caso queiram dar uma espreitadela.

    Conhecem o filme? Se sim, qual foi a vossa opinião?

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#10Review: Pesquisa Obsessiva

pesquisa obsessiva.jpg

    "A filha de David Kim desapareceu. Ele não a consegue encontrar. Até descobrir quem ela é realmente."

    Foi assim que me cativou a sinopse do filme Pesquisa Obsessiva (ou "Searching" em inglês). Este filme é gravado de uma forma muito curiosa, pois a história é contada através de dispositivos tecnológicos (podem ver o que estou a dizer no trailer), o que torna, na minha opinião, o filme muito mais original e cativante.

    A história demonstra até onde um pai está disposto a ir pela sua filha, que se encontra desaparecida, e a importância das redes sociais nesta sua procura. Hoje em dia, tudo o que somos está online, e é interessante ver como este pai só conhece realmente a filha quando acede ao seu computador. É um thriller atual, que podia muito bem ser baseado numa história verídica, e com um desfecho que me agradou bastante. Recomendo vivamente!

    Alguém por aqui que já ouviu falar deste filme? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#9 Review: Um Pequeno Favor

umpequenofavor.png

    Bem sei que já não vos trazia reviews de filmes há algum tempo, mas ontem fui ver este filme ao cinema e achei-o tão interessante, que tinha que vir partilhar com vocês o meu testemunho...

    Para quem me conhece, sabe que eu adoro filmes e séries de mistério, crime e thrillers, e desde o primeiro minuto que eu vi o trailer deste filme que eu tinha uma curiosidade parva para o ir ver ao cinema. Primeiro, adoro trailers que não contem toda a história do filme - para mim quanto menos digam, melhor! Depois, há todo um suspense no ar... Sabe-se que uma pessoa desaparece, que é a melhor amiga da personagem principal, mas não há muito mais que isso que se consiga perceber.

    O filme em si é...algo fantástico. Mistura o humor (negro), com um mistério único que só a Blake Lively e a Anna Kendrick (as protagonistas) conseguiriam representar. E o final é, apesar de tudo, super inesperado... Digo-vos que, em pleno intervalo do filme, eu já tinha 3 possíveis finais traçados, e no final nenhum deles acabou por acontecer. Das duas uma, ou sou péssima a adivinhar finais, ou o filme é completamente surpreendente. (E eu gosto de pensar que se trata da segunda opção... )

    E... mais não digo! Não vos quero estragar a surpresa que todo o filme envolve. Toca de ir ver o trailer, e caso gostem (e como é possível não gostar?!), toca de ir ao cinema já, já, já! Agradecem depois... 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

O que não gostei no La la Land (com SPOILERS)

 

O La la Land é para muitos um filme de referência, e não é por acaso que ele esteve nomeado para 14 Óscars (os quais ganhou, impieadosamente!). No entanto, como qualquer filme, não é por isso que ele deixa de ser alvo de críticas, ou comentários menos felizes à sua prestação. E eu, como espetadora atenta que tento ser , quero também deixar aqui alguns dos meus pontos de vista mais negativos acerca do filme (apesar de ter sido, de um modo geral, um filme agradável de ver). [Quero deixar claro que esta é apenas a minha opinião acerca do La la Land, estando à vontade para receber, e respeitar, todo o vosso feedback que receber.]

  • Demasiada cantoria. Eu sei que ele era um musical (que desde já não sou grande fã), mas uma coisa é ser um filme género musical, outra coisa é ser um musical género de filme. Tudo o que é demais é conta errada, e principalmente durante a primeira parte do filme, achei um exagero ver toda a gente a cantar por tudo e por nada (e personagens figurantes que não entraram em mais cena nenhuma). Não é bem a minha cena, mas compreendo que há quem goste.
  • A cena do planetário perdeu-me imenso, vou ser honesta. Quando vejo de repente pessoas a "voarem" ou "flutuarem" num filme que aparentemente nada indicava que usava este tipo de 'efeitos especiais', perde um bocado o realismo para mim.
  • O Ryan Gosling é jeitosinho sim, representa bem sim senhora, mas cantar e ser o mais apropriado para o papel...meh, tenho as minhas dúvidas. A Emma Stone foi tão excelente na minha opinião (como é sempre, adoro aquela miuda), e consigo imaginá-la com uns 500 mil actores que faziam um melhor par de cantoria para ela, do que este... :(
  • A moral da história: ou és bem-sucedida na vida, ou tens o amor da tua vida ao teu lado. As duas coisas são impossíveis. Epa, não gostei. Chamem-me romântica de alma e coração, mas não gosto desta filosofia de vida, nunca me identifiquei. Sei que há muitos casos de casais que isso acontece (infelizmente), mas na minha opinião, é possível conciliar as duas coisas.
  • (Por isso mesmo) O afastamento dos 2 não foi bem explicado, para mim. Ela podia perfeitamente ter ficado a trabalhar em Paris, e ele ter ido com ela (visto já nem estar em tour). Abria lá o seu restaurante de jazz, e tudo o resto. Não era caso para uma separação tão definitiva.

 

Porque nem tudo foi mau, achei este filme com uma história muito 'fofinha' (apesar da forma como acabou), sendo a parte final para mim aquela mais espetacular, e a melhor (curiosamente!). Recomendo o La la Land a todos os amantes fieis de musicais, e de finais surpreendentes!

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

#3 Review: Uma rapariga no comboio

    Boas! Hoje resolvi fazer uma review de um filme que vi à alguns dias, mas que só hoje tive tempo (e disponibilidade) para comentar.

    Quero começar por vos dizer que eu tive, durante as férias de Agosto, na extensa lista de espera da biblioteca aqui da minha zona para poder requisitar este livro (que estava mais concorrido que a Maria Leal nos dias de hoje no Urban). E isso deve-vos dizer alguma coisa do quão expectante eu estava sobre este filme - que tinha sido só baseado no best-seller de 2015. 

    Em relação ao filme, na minha opinião tem uma história excelente (que era tal como eu estava à espera), que não deixa de ser simples e original ao mesmo tempo, o que me deu uma pica enorme de ver desenvolver. Para aquelas pessoas que viram o filme e o acharam 'uma seca' ou 'muito parado', como já tenho lido, eu sinceramente não consigo entender o como, desculpem-me. É que, para mim, eu estava constantemente curiosa para ver o que se iria passar a seguir, pois a história dava imensas voltas e captava sempre a atenção dos mais distraídos.

    Isso quer dizer então que o filme foi 5*? Nem por isso. Na minha opinião este é um daqueles dramas tão pesados, que quando sais da sala do cinema parece que foste atropelada por um camião de 60 mil toneladas. Foi exatamente assim que me senti. Ou isso, ou que tinha acabado de sentir o pior breakup de sempre. Mas não levem isto demasiado a peito! Fala uma pessoa que odeia dramas já de raíz, portanto tudo o que advém daí para a frente, só piora. Se foste daqueles que não deprimiram ao ver o Rei Leão, então este filme é excelente para ti!

    Já no final, apesar de intenso (para não me spoilar de outra forma), acabou como eu queria, e o resto não digo mais. Vão ter de ver. Porque senão digo tudo.

    Aconselho todos a verem o filme, porque apesar de não ser perfeito para mim, foi um 3.5 ou 4* que merece toda a vossa atenção e carinho. (Certifiquem-se apenas que logo depois vêm uma comédia daquelas para desanuviar).

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

RANDOM REVIEW: The Theory of Everything

 Fui hoje ver "A Teoria do Tudo" ao cinema que, (para quem já não tá farto de ouvir falar nele), é uma história biográfica da vida do Stephen Hawking. Em geral, toda a gente conhece o cientista e sabe +- da sua história de vida claro, mas digo-vos honestamente que não perdem mesmo nada em ir ver o filme na mesma.

Sem vos querer spoilar muito, se pudesse resumir este filme em três palavras seriam: intenso, MUITO romântico, e igualmente dramático. É daqueles que vos vai fazer chorar baba e ranho, I tell you that. Qual "Fifty shades" qual quê, este é provavelmente o filme mais romântico que já vi em toda a minha vida, e só de saber que é baseado na sua história verídica...woow...MUITO lindo mesmo. (P.S.: Levem lenços se forem mesmo vê-lo, depois não digam que não vos avisei!)

 

 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

FAVORITOS DE JANEIRO

Hello! 

Apesar deste mês ter sido 80% testes e trabalhos pra entregar e 20% infeções e alergias, ainda arranjei tempo para no meio disto tudo (não me perguntem como), destacar algumas coisas mais positivas pra me animar um bocadinho. Por isso aqui vão elas:

Strepfen: Ação anti-inflamatória

 Como alguém que passou um quase metade do mês com a garganta inflamada, digo-vos claramente que strepfen é MESMO a solução. Facilitou-me a vida a 110%! 

 

Filme: O Jogo da Imitação

Não dava nada por este filme, o trailer não me parecia apelativo, achava-o outro 'chiché', mas enganei-me redondamente. É um filme histórico e biográfico, que retrata uma história verídica ocorrida durante a 1ª Guerra Mundial, e é sobre o Enigma. E mais não digo, gostei muito!

 

Black Bead Goth Chocker Necklace

 Sem comentários...Amo-o imenso... :) 

 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.