Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

#13DomingodeConsultório: Dicas para lidar com o regresso ao trabalho

escola.jpg.crdownload

    Olá minha boa gente! Tenho andado um pouco desaparecida por aqui, mas nada temam, pois tratou-se apenas de uma pequena escapadela de trabalho, e hoje estou de volta 

    E por falar nisso, e porque o regresso ao mundo do trabalho já é - infelizmente - uma realidade para muitos, hoje vim-vos trazer algumas dicas para pôr-mos em prática durante este regresso:

    1. Aprender a dizer "não!" Sabiam que, segundo vários estudos, a diferença entre as pessoas bem-sucedidas no trabalho e as pessoas muito bem-sucedidas é apenas uma: saber dizer que não? Os trabalhadores que são mais assertivos tendem a ganhar não só mais respeito pelos outros a longo prazo, como também a terminar um maior número de tarefas de forma bem-sucedida. Claro que isto não implica recusar constantemente propostas do nosso chefe, passa antes por entender o que é relevante e faz sentido para nós nos focarmos neste momento, e o que é secundário, e nos pode atrasar o cumprimento das tarefas que temos por fazer.

    2. Ter uma agenda de trabalho. Os especialistas aconselham a ter uma agenda das tarefas que é necessário realizar no trabalho. Depois, deve-se agrupá-las em três grupos: as urgentes, para fazer a curto prazo; as urgentes, mas podem esperar, e aquelas que não têm data limite. Nos dois primeiros grupos deve-se colocar as datas até onde é suposto realizar essas atividades. 

    3. Dormir bem. Não sendo novidade para ninguém, uma boa noite de sono (de preferível 8h) tem sido associado, por várias investigações, a bons rendimentos tanto escolares, como profissionais. Por sua vez, a falta de sono pode provocar até cerca de 30% da diminuição da nossa concentração, desempenho, e quantidade de trabalho! E a ideia do "Ah, eu tomo um café no dia seguinte, que é a mesma coisa" não conta...

    4. Fazer pausas de 10/15 min. Apesar de muitas vezes ser difícil, são muitos os psicólogos que aconselham os trabalhadores a fazer pausas de 10 ou 15 minutos, no seu horário de trabalho. Especialmente quando já se está há demasiadas horas frente ao computador, e não nos conseguimos concentrar no trabalho que temos pela frente, é recomendável fazer pausas e "arejar as ideias", para mais tarde voltarmos ao trabalho muito mais concentrados, e motivados. Tudo serve para diminuir eventuais níveis de stress e esgotamento emocional.

    5. Recompensarmo-nos após uma tarefa chata. Sempre que terminarmos uma tarefa mais complicada, aquele relatório que já se está a adiar há muito tempo ou aquele trabalho que se revelou muito mais demorado do que prevíamos, devemo-nos recompensar com pequenos prémios ("hoje vou comer a minha sobremesa preferida", ou "vou fazer uma maratona da minha série favorita quando chegar a casa"...). Podemos ainda dividir as tarefas chatas em pequenas ações, para que seja mais fácil cumpri-las.

    E por hoje é isto! O que acharam deste Domingo de Consultório? Se tiverem alguma questão para a próxima semana, não hesitem em deixâ-la nos comentários! 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Crónicas de uma estagiária: O fim

 (Leia-se o gif: Come me sinto por dentro vs Como mostro por fora) 

    É verdade, o meu estágio chegou ao fim. Foram 4 meses de muita labuta, esforço e dedicação, por isso tenho, a partir deste mês, o merecido "descanso de guerreira". Digo descanso entre aspas porque ainda está a tese por terminar e ainda há muito por fazer, mas a partir de agora já não vou viver num stress de horários, preocupações chatas, e falta de tempo para as minhas coisas.

    Em modo geral, posso dizer que este estágio foi uma experiência única: conheci gente nova, tive o peso de muita responsabilidade nas minhas mãos, aprendi como funciona uma empresa privada por dentro, tive pela primeira vez a experiência de receber um ordenado, e melhor, ganhei oportunidades profissionais! A nível pessoal e curricular foi óptimo, porque sinto que cresci imenso e aprendi muito sobre mim própria, nomeadamente as minhas capacidades e os meus limites. Essa foi para mim a melhor mais-valia que tirei daqui: o meu crescimento pessoal!

    Como tudo na vida, para além dos seus "altos" teve também alguns "baixos". Primeiro, aprendi que este trabalho era muito mais exigente do que eu pensava inicialmente, e quando criamos certas expetativas que depois vão abaixo, o choque pode muitas vezes ser complicado de encarar... E depois, aprendi também que era preciso uma disponibilidade gigante, não só a nível de carga horária mas também psicologicamente. O que nem sempre é fácil quando precisamos de disponibilidade mental para encarar os desafios do dia-a-dia, a faculdade, os nossos relacionamentos pessoais, e por aí fora...

    Esta foi a minha experiência pessoal mais próxima de um emprego que tive até agora. Que oportunidades vocês já tiveram de trabalho, e como vos correu? Foi parecida à minha experiência, ou nem por isso? 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.