Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

umacartaforadobaralho

"o segredo é teres sempre uma carta na manga"

Relação On/Off

Sabem quando encontram aquela colega, que ora está numa relação, ora não está..?

Então quando começas com a típica frase do "Então tu e o Paulo..." nunca sabes se vai acabar com...

A) ela a responder-te "Acabamos de vez, desta é que é."

B) Ou "Estamos noivos."

 

É super awkward! Especialmente quando já não a vês há muito tempo.

Quem me dera que existisse uma espécie de aviso prévio para evitar aquele desconforto que vem depois do "Eu e ele acabámos há algum tempo...", COMO ACONTECEU DESTA VEZ COMIGO!! 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

"Situationship"

    Como leitora assídua das histórias do Snapchat, hoje na Cosmopolitan falavam das 'Situationship' como um novo trend das relações românticas (como se estas já não fossem complicadas só por si). Aparentemente, situationship é o nome que se dá às relações que se situam entre o "sexo casual" e o "numa relação". Traduzindo, é o pesadelo de qualquer um. Segundo o artigo, esta situationship é bastante frequente quando os casais estão a ver se 'funcionam' ou não juntos, se a coisa avança, ou não (apesar da coisa já estar bastante avançada), podendo ficar assim semanas, meses, e até anos!

    Não é simplesmente estarem-se a conhecer pela primeira vez... É já se terem conhecido imensas vezes, (a sua genitália também), e os amigos e família já terem sido apresentados, apenas não como namorado/a. Em suma, é como estar num relacionamento sempre à espera de alguma coisa, não se sabe é muito bem o quê. Provavelmente alguma coisa má, digo eu, para deixarem de estar juntos de uma vez.

    Não sei se já deu para perceber, mas eu acho isto uma das coisas mais ridículas que ouvi até hoje. E pelos vistos não sou a única a achar, pois pelo que dizia no artigo, pessoas que têm este tipo de relação sofrem grandes picos de ansiedade, tristeza frequente, medo de abandono, etc.. E quando acaba essa 'semi-relação', os resultados são bem piores do que numa relação real porque (cit. Cosmopolitan):  'Quem é que vai compreender o desgosto amoroso de alguém, que nunca teve numa relação em primeiro lugar?'

    Não sei se sou eu que estou a ficar velha, mas no meu tempo, as pessoas conheciam-se durante dias, meses, anos, o que fosse..., apaixonam-se, e se fossem correspondidos, que bom, estão numa relação. Se não, ficavam tristes, mas pelo menos já sabiam, e seguiam para outro!

    O que quero dizer com isto é o seguinte: Rapazes e raparigas deste país, não percam tempo das vossas vidas com pessoas que claramente não estão interessadas em vocês. Se estivessem, assumiam-vos a 100% como vossa namorada, ou namorado, e não vos fazia perder tempo, e investimento emocional (muito importante!). 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.

Em 'Relação' a isto...

     Boas! Ontem 'tive a ver um vídeo sobre 2 raparigas que não conseguem "ficar" solteiras, e li também um post que ganhou destaque pelo Blogs Sapo, acerca de casais homossexuais. E isso fez-me pensar imenso acerca das nossas formas de encarar as relações amorosas: sejam elas relativamente ao género dos sujeitos envolvidos, sejam relativamente ao tipo de relação envolvida, à forma como cada pessoa as vive, etc..

      O vídeo em questão, por exemplo, fala de duas jovens que admitem não conseguir estar mais de 2/3 meses sem estar numa relação com alguém. Ambas tinham prometido permanecer 1 ano solteiras, para consolidar melhor o final de relações bastante duradouras, e não o conseguiram evitar (dizem elas não por necessitarem claramente de um homem na vida delas, mas porque 'simplesmente aconteceu'). Esse vídeo recebeu IMENSOS comentários negativos, começando por lhes considerarem umas 'oferecidas', 'insaciáveis' (e outras coisas bem piores...).

      Em relação ao post que falei à pouco, cujo tema já tem mais barbas-que-até-mais-não, relata a discriminação face aos casais LGBT, a sua luta pela igualdade, as dificuldades destes casais,etc..

 

       Posto isto, o que vos queria dizer era o seguinte, e esta é a minha opinião sincera:

  • Quer seja um casal heterossexual, homossexual, transgênero, pansessual, intergênero, etc..
  • Quer sejam eles da mesma raça, religião, cultura, nacionalidade, língua, sociedade... ou não...
  • Quer estejam estes numa relação poligâmica, monogâmica, aberta, "fechada", colorida, numa união civil, união de facto, casados, divorciados, noivos...
  • Quer sejam eles indivíduos que prefiram relações longas, quer sejam indivíduos que prefiram relações curtas...
  • Quer precisem eles de pouco tempo para "ultrapassar" o final de relações, quer precisem eles de anos...
  • Quer estejam eles numa relação à distância, quer estejam eles a 5 passos um do outro...

...Desde que haja respeito, mutualidade, felicidade e amor um pelo outro, é um casal como qualquer outro que tem TODO o direito a ser feliz e respeitado 

Sigam-me no Instagram @umacartaforadobaralho e no Twitter @umacartafora.